Homenagem a Catulo da Paixão Cearense

Há 49 anos morria um poeta que traduziu em inspiradas letras o canto do sertanejo.
Costumo dizer que poetas tem parte com Deus, pois conseguem traduzir sentimentos com um carisma que faltam a tanta gente. Quem não se lembra desse clássico abaixo:
Luar do Sertão
(Catulo da Paixão Cearense)

Não há, ó gente, oh não
Luar como este do sertão...
Oh que saudade do luar da minha tema
Lá na serra branquejandoFolhas secas pelo chão
Esse luar cá da cidade tão escuro
Não tem aquela saudade
Do luar lá do sertão
Se a lua nasce por delas da verde mata
Mais porem um sol de prata prateando a solidão
A gente pega na viola que ponteia
E a canção é a lua cheia
A nos nascer do coração
Se Deus me ouvisse
Com amor e caridade
Me faria essa vontade
O ideal do coração:
Era que a morte
A descontar me surpreendesse
E eu morresse numa noite
De luar do meu sertão

Catulo, onde você estiver receba nossa gratidão pela riqueza de sua poesia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Visita do Papa ao CMI: gesto de comunhão e cumplicidade para testemunhar unidade

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia