Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

A crise do Sistema Representativo: para se entender a voz das ruas

O Brasil assiste, após quase duas décadas, a um grande movimento social que precisa ser entendido à luz do processo político que nosso país tem experimentado nos últimos anos.  Milhões de brasileiros estão nas ruas para reivindicar uma pauta enormemente difusa, que vai desde a redução da tarifa de transporte coletivo até mesmo uma ampla reforma política. Muitos de nós temos sido surpreendidos com a diversidade de pautas desse turbilhão de manifestações e nos perguntamos qual a motivação maior desse fenômeno. Na verdade, a grande maioria dos manifestantes tem expressado de forma pacífica seu descontentamento com a inércia dos poderes públicos em realizar autênticas transformações na estrutura do Estado. Parece que o sistema representativo não está garantindo que a energia transformadora siga seu curso normal e se transforme em efetiva mudança para o bem viver da sociedade brasileira.  O que está acontecendo no Brasil de hoje é um sucateamento do transporte público, da assistência médica …

A matemática perversa da Copa: quem ganha e quem perde

Conforme prometi em meu artigo anterior, me dedico agora a refletir sobre o impacto socioambiental das obras para a Copa do Mundo. Segundo estatísticas de organismos não governamentais, cerca de 250 mil pessoas serão removidas das áreas e entornos das arenas esportivas para a Copa.  Estas remoções se dão normalmente contra famílias de baixa renda, situadas em áreas conquistadas por assentamentos e que dispõem - sob o ângulo da lei - de todas as condições para legalização de suas posses. Por outro lado, governos municipais, estaduais e governo federal não tem oferecido nenhuma garantia de que estas remoções sejam acompanhadas pelo direito de reassentamento adequado à realidade dessas famílias. Ou seja, num linguajar direto, o que está havendo é despejo puro e simples para a implementação de projetos urbanísticos para os quais as lideranças populares diretamente afetadas não foram consultadas devidamente.  Os projetos de reforma dos espaços são geralmente apresentados à mídia como bené…

Sobre Arenas, Leões invisíveis e Vítimas concretas

Estamos há poucos dias do inicio da Copa das Confederações. E já é possível dizer que se não forem tomadas medidas adequadas até a Copa do Mundo teremos o caos instalado no país.
Não tenho nenhuma pretensão de fazer anti-propaganda da Copa do Mundo, mas como cidadão brasileiro, não posso deixar de avaliar criticamente as consequências nefastas que a Copa 2014 trará para os brasileiros. O espetáculo do nosso mais popular esporte será a fachada para alguns sérios desmandos.

Comecemos pelos investimentos. É impressionante o valor dos investimentos públicos, somados aos capitais privados, para a construção das chamadas arenas. Até agora, segundo dados do próprio governo, estão contratados cerca de 15 bilhões de reais. Este número pode chegar tranquilamente a cerca de 30 bilhões até  2014. Esse montante representa a terça parte daquilo que é o orçamento de todo um ano para a Saúde!
Uma tal soma poderia se justificar se em contrapartida tivéssemos investimentos de monta na infraestrutura do…