Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2005

Os piores momentos....

Com certeza 2005 passará para a história como um ano cheio de vergonhosas
cenas no cenário político brasileiro. Foi o ano da descoberta do Mensalão,
dos Jefersons e Dirceus da vida. Um ano em que a mídia e os abutres se
deleitaram com a sujeirada que a cada manhã aparecia como mais uma
curiosidade, transformada quase em folclore.
E o que parecia ser uma oportunidade de passar as coisas a limpo, se
transformou numa enorme pizza servida com o sabor dos votos do
corporativismo parlamentar.
Até a engraçada imagem dos macaquinhos se tornou o pradigma dos políticos e
seus partidos. Não falo, não vejo, não ouço. Milhões de reais ficaram
pulando de mão em mão, numa lógica capaz de fazer inveja à indústria do
tráfico de drogas. Às vezes nem tanto de mão em mão, conforme as cenas de um
operário da política no aeroporto!
E ai se estabeleceu o Estado-espetáculo. Governo e oposição bramindo suas
retóricas ensaiadas, previsiveis, de olho na mídia e nos eleitores.
E fico a pensar: qual o futuro da política? Vamos …

Indigenas e indigentes

Lastimável a ação da Polícia Federal na expulsão de cerca de 500 indígenas no Mato Grosso do Sul na manhã de ontem. Numa ação que seria de se esperar fosse feita contra o crime organizado, inclusive com agressão a repórteres, a PF retirou os indígenas Guarani Kaiowá de uma área já demarcada por decreto presidencial, mas embargada pelo Supremo Tribunal Federal.
Essa ação é apenas um dos retratos tristes de como a política indigenista tem sido tratada nesse Pais. O Governo Lula tem sido omisso no trato dos direitos dos indígenas e as ações levadas a efeito tem representado um retrocesso absolutamente injustificável. Por que? Talvez pelo fato de sua necessidade de contemplar os interesses do agronegócio, como um dos pilares de sua política econômica. Ou então porque o campo indigena não dispõe de um lobby tão eficaz quanto o de outros segmentos étnicos. Os intelectuais da esquerda brasileira, preocupados talvez com a macro política, não tem apoiado esses nossos irmãos com tanta veemência …

Tributo a Tookie

Até quando as sociedades chamadas de modernas vão manter a pena de morte como instrumento legítimo para enfrentar a criminalidade? Há exatos dois posts atrás, defendi a justiça para os assassinos de Dorothy Stang. E a sentença dos executores foi prolatada, estabelecendo-se o princípio de que, quando se cometem crimes tão perversos, como os praticados contra a vida das pessoas, a restrição da liberdade constitui pena adequada para garantir o respeito à integridade dos cidadãos e cidadãs!
No entanto, alguns sistemas penais consideram a pena capital como instrumento legítimo, cometendo o mesmo crime de eliminação da vida - nesse caso dos condenados - como uma verdadeira lei de Talião.
A contradição desse princípio é visível e por mais que tenhamos avançado em termos de civilização, continuam a ocorrer execuções de criminosos, seja por ação policial pura e simples - tão comum em nosso País - seja pela aplicação da pena de morte.
O caso de Tookie Williams é paradigmático nesse sentido. Conde…

5 o'clock in the morning

5 o'clock in the morning
Originally uploaded by Lucypassos. Essa paisagem é uma homenagem à linda cidade do Recife, praticamente meu berço, com o qual mantenho laços indescritiveis. Pelos belos momentos de minha vida por lá. Revê-la semana passada foi com um reencontro de belas imagens.
Sol, praia e gente querida. Uma equação entremada de uma culinária magnífica e um espírito de liberdade tremendo!

Justiça para Dorothy

Amanhã serão julgados os acusados de matar Dorothy Stang. Esse foi mais um dos crimes que se cometeu nesse País contra pessoas que marcaram suas vidas pela defesa dos direitos humanos. Crime de encomenda daqueles que se consideram senhores da terra e da vida das pessoas. Naquelas terras tão belas e selvagens do Pará, o sangue de muitos desfavorecidos tem sido derramado ao longo dos anos, sob o manto da impunidade.
Esperamos que se faça justiça de verdade. O testemunho de uma mulher frágil no físico mas tão gigante na alma não pode simplesmente ter acabado quando a vida lhe foi tirada. É preciso que sua voz continue ecoando em nossos corações e mentes, sempre nos lembrando que é preciso continuar a lutar contra os desmandos dos poderosos.
Se a sentença for proclamada em 24 horas, acontecerá no dia Internacional dos Direitos Humanos. Nada melhor do que dar à sociedade brasileira um testemunho de que nesse País há lugar para a seriedade. Os olhos da sociedade internacional estão sobre nós.…

Dia de luta pela Superação da Violência contra as Mulheres

Hoje em todo o País se realizam manifestações pela superação da violência contra as mulheres. As estatísticas em torno desse tema são assustadoras. Em recente pesquisa realizada pela OMS, percebe-se a crueza e impunidade que ainda imperam em nossa sociedade. Segundo a mesma pesquisa, 37% das mulheres da Zona da Mata de Pernambuco, meu estado natal, sofreram violência física e/ou sexual por parte de seus companheiros. Desse número, cerca de 1/5 ficou silenciada pelo medo de enfrentar a questão, alimentando a impunidade.
Bem se vê que estamos longe da imagem idílica que Michelangelo retratou em seu quadro "A Criação de Eva". A realidade, porém, aponta para um cotidiano de submissão das nossas queridas companheiras ao autoritarismo machista. A todas as mulheres brasileiras nossa palavra de solidariedade e estímulo a que continuem rompendo as barreiras do silêncio, na busca da igualdade de direitos. Somente com o avanço dos direitos das mulheres é que poderemos viver numa socieda…

Haja fôlego!

O deputado José Dirceu está se tornando um caso paradigmático em meio à crise política que se abateu sobre o País desde o meio do ano. Com certeza, sua sobrevivência política já está deixando muito de seus adversários à beira de um ataque de nervos.
Evidentemente que isso não significa um atestado de sua autêntica inocência, sobre o que a maioria dos seus pares na Câmara já se manifestou em enquete recente: a maioria dos parlamentares votaria pela sua cassação.
Mas significa uma outra coisa: a capacidade de resistir à pressão política e do uso de todos os meandros jurídicos à disposição para manter o seu mandato.
Muitas vezes o afã de julgar politicamente um parlamentar leva as CPIs e o Comitê de Ética da Câmara a cometer erros de procedimento primários. E ai, uma boa assessoria jurídica pode prorrogar de forma incômoda o final do processo. A mais recente vitória do ex-ministro foi dividir o STF. Ainda que venha a ser derrotado pelo voto que falta, José Dirceu ganhou fôlego e força polít…

Eleições e Moralidade

A iniciativa do TSE em oferecer prontas sugestões para se evitar o velho caixa 2 de campanhas políticas, pode representar importante passo para que o processo eleitoral brasileiro avance um pouco mais na sua qualidade.
Ao estabelecer penas ainda mais graves para candidatos que transgridam as regras contábeis previstas na lei eleitoral, bem como o impedimento de candidaturas de pessoas condenadas em segundo gráu na Justiça Comum, constituem um avanço.
Resta ver como o Congresso, que hoje recebeu as propostas do próprio Presidente do Tribunal, vai agir. Espera-se que com essa lameira toda que se abateu sobre a classe política, os senhores parlamentares tomem jeito de aperfeiçoar os mecanismos de lisura eleitoral.
Estamos fartos de vermos a associação do poder econômico às campanhas políticas. Contribuir para campanhas pode ser direito de todos os cidadãos e cidadãs, bem como de qualquer empresa privada. Desde que declarem abertamente o que doaram, com vistas ao monitoramento por parte da …

Economia em risco

A estratégia da oposição está começando a minar o que era, até pouco tempo atrás, a inexpugnável torre do Governo.As denúncias, envolvendo o ministro Palocci, expõe pela primeira vez a última instância que sustenta a credibilidade econômica de Lula.Se o ministro conseguir sobreviver a esse novo ataque, com certeza a oposição terá dado um tiro no pé. O contrário deixará Lula isolado e com sérios riscos à estabilidade econômica do País.Se o mercado entender que a Economia não pode ficar à deriva, por causa de atos de improbidade do gestor, e a substituição se torne apenas circunstancial, o que seria de se esperar, pode haver ainda uma esperança de uma curta instabilidade. Mas, se o mercado perceber alguma mudança de vetor no modelo, aí sim se entrará num processo perigoso.Vamos ver como se sai o ministro. O Presidente já preparou o terreno. Resta ver como Palocci manobrará a partir de hoje à tarde!

Agora é tudo ou nada

A denúncia de apoio financeiro de Cuba para a campanha eleitoral de LULA assume contornos especialmente definitivos para o futuro de seu governo e de seu projeto de reeleição. A gravidade da denúncia coloca em jogo também a discussão sobre a ética da liberdade de imprensa. A revista VEJA tem se caracterizado por oferecer denúncias em diversas frentes, na maioria das vezes documentadas, outras não. A acusação de que o PT havia recebido dinheiro das FARC permanece no ar, sem comprovação definitiva e com o ônus da prova não assumido. Agora vem essa de Cuba. Claro e evidente que as relações entre o Brasil, Cuba e Venezuela constitui uma ameaça aos interesses dos EUA na América Latina. Não se trata aqui de julgar os governos de Cuba e Venezuela por suas posturas anti-americanas: afinal possuem razões de sobra para assim se firmarem. São países amigos, com interesses econômicos na relação com o Brasil e a afinidade mais próxima com um Presidente mais à esquerda, é absolutamente normal. Não …

O Velho Chico e a saga do Bispo contra o Presidente

Nestes tempos de fraca institucionalidade, com a crise reduzindo a força das instituições democráticas do País, o gesto do Bispo de Barras, D. Luis Flávio Cappio, traz à tona algumas questões que precisam ser analisadas com muita atenção.
A radicalidade do gesto do Bispo, ao iniciar uma greve de fome em protesto contra a transposição do São Francisco, colocou em cheque a máquina do Governo. Conseguiu fazer o que não conseguiram os movimentos sociais que reclamavam do Presidente uma postura de diálogo em torno do Projeto.
Aliás, diálogo é uma palavra que tem sido muito cobrada por parte da Sociedade Civil organizada com relação a iniciativas do Governo em áreas de elevado interesse dos segmentos populares. E onde houve diálogo, ou melhor, tentativas, nem sempre prevaleceu a reivindicação das organizações e movimentos sociais. Um exemplo disso foi a discussão do PPA, culminando com uma proposta elaborada pelos tecnocratas ligados à filosofia da priorização dos fundamentos macro-econômicos…

Severinos, picadeiros e decadência

As cenas da última quarta-feira no plenário da Câmara são um atestado definitivo da falência do modelo político atual do Estado brasileiro. Vimos cenas dignas de um autêntico picadeiro, onde os personagens protagonizaram com toda crueza possivel a ruptura dos limites da institucionalidade. Um Presidente de uma casa legislativa faz um discurso pinoquiano, encerrando uma curta carreira construida com o uso da esperteza política, e uma demagogia basista insonsistente. Exposto à opinião pública pela prática tão usual na política brasileira de favor financeiro em troca de contratos, o ex-Presidente e deputado ainda tentou passar à história como vítima. Mas não colou.
As galerias nos lembraram os tempos das claques organizadas de estudantes defendendo a ampliação da cidadania. As cenas protagonizadas pelos seguranças da Câmara nos lembraram, da mesma forma, o período do regime militar. Do bate-boca ao confronto físico, tudo que era possivel ocorrer num momento em que as pessoas perdem a razã…

Lições tristes do Katrina

As cenas de horror, publicadas pela midia internacional sobre o furacão Katrina, deixa-nos pelo menos algumas fortes e tristes lições.
A primeira delas é de que a pobreza é sempre a maior vítima desse tipo de desastre. O furacão não expôs somente o poder incontrolável da natureza. Ele mostrou que o sul dos EUA tem um corte social bastante distinto das demais regiões, com seus pobres e esquecidos pela política neo-liberal do Governo Bush. Muitas pessoas que lêem a sociedade americana de forma univoca, foram surpreendidas com a exposição da pobreza de muitos cidadãos e cidadãs americanos, abandonados por um Governo que cada dia mais aprofunda a desigualdade social e que, ao invés de investir em políticas sociais, prefere gastar bilhões lutando contra os mulçumanos lá no Oriente Médio.
A segunda delas é de que realmente Bush não tem nada de coerente com seu pseudo evangelicalismo fundamentalista, que alimenta hoje os segmentos mais conservadores do País. A insensibilidade e a falta de medi…

Crise Política e Controle Social

A presente crise política expõe com clareza cristalina o quão frágil é o relacionamento entre Sociedade Civil e Estado, em nosso País. Parece-nos que a relação entre os dois entes só tem nexos claros a partir do que se chama processo eleitoral. Consolidado o momento eleitoral que outorga aos representantes do povo o poder de gestão sobre a coisa pública, reduz-se fortemente o poder da Sociedade Civil que, sem mecanismos de fiscalização realmente eficazes, se submete ao risco de uma má gestão até o próximo momento eleitoral.
Mesmo os dispositivos legais que permitem alguma forma de monitoramento do desempenho dos gestores são frágeis e a solução de problemas geralmente demora pela letargia do poder político e do poder judiciário. Os dispositivos constitucionais, que garantem à Sociedade Civil o poder de controle sobre o Estado, têm, na maioria dos casos, poder meramente declaratório de princípios, faltando implementação efetiva.
Não negamos com isso o relativo avanço da Sociedade através…

Tudo como dantes no quartel de Abrantes

Os recentes desdobramentos da crise interna do PT apontam para um desfecho, no mínimo destrutivo para a imagem do partido.
A renúncia de Tarso Genro representa uma derrota para o segmento do partido que desejava fazer uma depuração de quadros e de rumos.
Se o PT estava na corda bamba do descrédito, agora se avizinha um caminho sem volta para seu fim iminente. Ou, no mínimo, para se converter em mais uma sigla disposta a lutar pelo poder sem a observância de principios tão caros e tão umbilicais na sua origem como ética e transparência.
Pelo menos para mim, eleitor e modesto cientista político, o PT acabou. Creio que muita gente nesse país, simpatizantes da sigla e de sua biografia, vai adotar a mesma postura.
A questão agora é: quem vai herdar a confiança do eleitorado que quer um partido que represente de fato as aspirações de uma política calcada na defesa de políticas realmente comprometidas com a melhoria da qualidade de vida de nossa gente.
Isso me faz lembrar que realmente Maquiavel …

Estratégia Equivocada

Dentre as muitas virtudes que o Presidente Lula tem e que contribuiram para a vitória eleitoral de 2002 está a de conseguir discursar com franqueza e simplicidade.
No seu primeiro ano de governo houveram até vozes que se ergueram para pedir que ele falasse menos e demonstrasse mais eficácia nas intenções.
Em meio à crise política que se alastra a cada dia e vai, a passos largos, consumindo a popularidade do governo, o Presidente manteve até a viagem a Paris um discurso públicamente aceitável.
A entrevista de Paris e os discursos subsequentes revelam que a estratégia mudou. E é uma estratégia arriscada e perigosa para o próprio Presidente.
Primeiro, ele assume o descolamento radical do seu partido. Embalado pela opinião pública ainda favorável a sua pessoa, Lula entendeu que deveria aumentar ainda mais a distância entre ele e seus companheiros de partido, lançando-os à incomoda posição de réus abandonados à própria sorte. Essa estratégia, até certo ponto compreensivel, pela ausência até o …

Blindagem: até quando?

As recentes pesquisas de opinião que apontam a popularidade do Presidente Lula, a despeito das denúncias que envolvem lideranças do Governo e do Partido, parecem sinalizar em uma direção que precisa ser considerada com muita atenção.
Significa que a opinião pública continua acreditando na capacidade do Presidente de levar o País adiante na busca das transformações que ele mesmo anunciou, tanto como candidato como eleito, nos diversos momentos de sua trajetória política. Significa também a percepção de que o Presidente não pode ser responsabilizado diretamente por desmandos de pessoas do círculo do poder que o cercam e sobre cujas agendas estão colocadas aspirações mais pessoais que nacionais.
No entanto essa "blindagem", como é chamada pelos analistas, não é garantida ad eterno se, daqui pra frente não houver mudança de rumos nas políticas públicas. O recente encontro que teve com representantes dos movimentos sociais, autores da chamada "Carta ao Povo Brasileiro", …

Lágrimas e Demonização

As lágrimas de Delúbio Soares, derramadas em ato político hoje e a afirmação de que as acusações que estão sendo feitas contra pessoas do Governo e do Partido são criação da Direita, constituem um desrespeito contra companheiros de luta pela democratização e ampliação da cidadania neste país.
Na verdade, Delúbio tem contra si o ônus de talvez ter causado um estrago quase irreversível ao GovernoLula, com sua inteligência de gestor financeiro cobiçoso de ampliar a base de sustentação com um falho e inconsistente projeto de troca de favores e recursos. A sua associação a empresário de enriquecimento rápido e inexplicável, como com o Sr. Marcos Valério, já é por si só atitude suspeita de quem, ao ter um discurso ideológico contra o Capital e a favor do Trabalho - conforme suas declarações mais recentes de militante - não teve nenhum escrúpulo ideológico para certos "capitalistas", desde que fossem seus amigos.
Essa história de qualificar os que querem apuração da verdade, indepen…

Carta ao Povo Brasileiro

Contra a desestabilização política do governo e contra a corrupção:
Por mudanças na política econômica, pela prioridade nos direitos sociais e por reformas políticas democráticas!

A sociedade brasileira mudou e, na Constituinte de 1988, decidiu por mudanças . Constituiu novos poderes e elegeu novos governantes, para promover processos de transformação social. Criou novas estruturas, combateu velhas instituições e gerou novos mecanismos para fazer valer os direitos de todas e cada uma das pessoas a uma vida digna.

Com a força desta história recente, mas vigorosa, de fortalecimento e radicalização da democracia em nosso país que nós, representantes das organizações populares, das organizações não governamentais, do movimento sindical, dos movimentos sociais e personalidades, convocamos toda a sociedade brasileira, cada cidadão e cada cidadã, para uma grande e contínua mobilização que torne possível enfrentar a crise política e fazer prevalecer os princípios democráticos.

Nas últimas ele…

República à deriva!

Passado o espetáculo deprimente do depoimento do deputado Roberto Jefferson na Comissão de Ética, os olhos agora se voltam para as apurações da CPI dos Correios e da provável CPI do Mensalão.
Uma coisa é certa: a República está à deriva! Dois dos poderes constituídos estão em meio a uma crise de legitimidade sem precedentes. Cresce a convicção de que essa história de mensalão não é coisa inventada por algum político em desgraça, mas a crua realidade de um País que não superou a cultura censitária, baseada no poder do dinheiro.
Me coloco ao lado dos brasileiros comuns, que vivem de salário, do trabalho árduo, para garantir a sobrevivência. Que paga uma fortuna em impostos para sustentar políticos que ganham fortunas por mês - além do seus salários convencionais - para trabalhar contra os interesses do povo.
O povo brasileiro precisa fazer valer sua dignidade. Chega de fazerem os eleitores de palhaços. Que democracia é essa? Na hora das eleições todo mundo posa de comprometido com a causa…

Golpe ou flancos abertos?

Tenho o maior respeito por Wanderley Guilherme dos Santos, por seu currículo e pelas análises feitas - a partir da Ciência Política - sobre importantes momentos históricos desse País. No entanto, acho que ele, ao defender a idéia de que está em curso um "golpe branco" contra o Governo Lula, pauta-se muito mais pela defesa apaixonada do Governo do que por um diagnóstico profundo da realidade.
Senão vejamos:
(1) Ele diz que o governo é bem sucedido. Em que aspecto? Que critério é adotado para definir que o governo Lula é bem sucedido? Na macro-eonomia? Sim. Mas acho que fora disso, os resultados são pífios. Basta perguntar aos setores ligados ao Meio Ambiente, movimento dos Sem Terra, Indígenas e mesmo a classe média arrochada tributariamente e ainda chamada de acomodada!
(2) Golpismo. Engraçado que em situações de crise os que estão no poder, acuados e em risco de legitimidade, sempre utilizam a falácia do golpe - velho "chavão" para desconstituir políticamente os adve…

Dia dos Namorados

Para além das artificialidades que o mercado cria em torno de uma data, é importante lembrar que o Dia dos Namorados exerce uma forte pressão sobre as pessoas. Nessas datas que evocam sentimentos e relacionamentos mais profundos, parece que vivemos uma dubiedade: uma parte das pessoas experimentam felicidade e excitação e, outra, tristeza e saudades. Isso depende diretamente do gráu de dependência que nossa vida tenha com relação aos namorad(a)s. Parece que o amor cria essa doença crônica de dependermos tanto assim de outra pessoa para sermos ou não felizes. Isso tem relação com o que escrevi alguns dias atrás sobre a relação entre o amor e o poder. Parece que o equilíbrio de nosso eixo vital depende da presença ou ausência de alguém. Mas isso não é sinônimo de amor. Se pensarmos que amor é doação, fica contraditório dizer-se que "ter" alguém seja razão de viver!
Aos namorados desejo um feliz dia em que renovem suas cumplicidades! Namorem muito, beijem muito, e partilhem su…

O medo está ameaçando a esperança

Estou profundamente entristecido com o espetáculo que nosso País está assistindo. Estou deprimido em minha consicência cidadã, estarrecido com as acusações que se fazem sucessivamente e cada vez mais graves contra os membros do Governo. Não basta o expediente, legal mas não ético, da semana passada onde o governo negociou às claras a liberação de verbas para parlamentares, cujos valores excedem a centenas de milhões de reais. Agora estoura a "bomba" do Jefferson: o mesadão! E opior é que isso tá virando combustível altamente inflamável nas mãos da oposição, sedenta de uma revanche com as forças progressistas deste País.
Já expressei anteriormente minha opinião sobre como o Presidente deveria agir. Parece-me que ele está perdendo o tempo certo de agir. Se não houver uma atitude verdadeiramente eficaz na elucidação das acusações a que seu governo está submetido poderemos ter um trágico fim!
Parece que o medo é agora o mote chave nos colóquios entre as pessoas. A campanha eleito…

Amor e Poder

Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro. (Carl Gustav Jung)

Saindo um pouco da Política, mas continuando nela - entendida como nossa eco-relação com tudo que nos cerca e que nos caracteriza como seres - gostaria de refletir sobre a relação entre amor e poder. Me inspirou uma conversa com uma amiga, que falava da necessidade de não perder controle na relação com seu companheiro, sob o risco de ser dominada. E ai me veio a frase de Jung. Realmente o amor é anárquico, profundamente anárquico, na acepção mais original do termo. Amar é desconsiderar qualquer pretensão de controle, qualquer instituição hierárquica. Por nos horizontalizar como seres, qualquer tentativa de poder gera a morte do próprio amor. Por isso ele é desconcertante, revolucionário da anarquia completa e nos perdemos. Estamos acostumados a normas, hierarquias, autoridade. O amor põe tudo isso por terra e somente quando esvaziados de qualquer sede de po…

O Freio de mão no Crescimento

Os recentes números da desaceleração econômica podem representar um novo desafio ao Governo. Empurrado pelo bom desempenho do ano passado, onde a geração de empregos e o índice de 5,2% de crescimento deixaram a equipe econômica com sorriso até a orelha, o Governo continuou a adotar medidas restritivas ao crédito. Com esse freio de mão, cobrando os mais elevados juros do mundo e dogmatizando o famigerado superávit fiscal, os gestores econômicos do Governo devem se preparar para o pior.
A menos que aconteça um milagre - o que é improvável no mundo dos negócios - o PIB crescerá menos do que o necessário para recuperar a chamada década perdida. E aí, a grande bandeira de Lula de gerar milhões de empregos estará tão comprometida quanto o contexto recessivo em que assumiu o governo.
Desse jeito, a estabilidade será uma realidade distante. Tá na hora de fazer a releitura do aperto fiscal e gerar poupança interna para produção. Do contrário, a economia andará para trás e atropelará as pretenç…
um pouco de humor para descontrair

Quanto custa uma CPI? As lágrimas de um senador!

O Governo Lula está agora dependendo única e exclusivamente de sua postura ética no desenrolar da CPI dos Correios. Todo os esforços, inclusive com liberação de verbas para parlamentares no valor aproximado de R$ 12 milhões, se mostraram inócuos. E ainda teve o desfecho melancólico de um senador às lágrimas assinando o pedido de CPI.
Fala-se agora em manobras regimentais e recursos para impedir o início dos trabalhos. Honestamente desconheço esse PT.
O Presidente disse aos jornalistas - mostrando a cara - que não estava nem um pouco preocupado com a possibilidade de instalação da Comissão. Mas me parece que seus auxiliares não tiveram a mesma compreensão.
E agora o País espera pra ver como ele vai se comportar durante o processo de investigação de corrupção praticado por um funcionário de terceiro escalão diante das câmeras.
Acho que o custo dessa CPI pode se tornar muito barato para um Governo que sempre se preconiza como um governo diferente de todos os demais. Manda ver as provas, dei…

Internacionalização da Amazônia: uma tecla mal repetida!

Recentes declarações da deputada italiana Monica Frassoni, do Parlamento Europeu, sobre a internacionalização da Amazônia levantam velhas questões de como os europeus e norte-americanos querem resolver o problema da biodiversidade do mundo à custa dos outros.
Sob o argumento de qeu a Amazônia está desprotegida, não tem faltado vozes na defesa de um regime de gestão internacional para a área, o que em linguagem direta significaria a supressão da soberania brasileira sobre a maior reserva vegetal do mundo.
O Governo brasileiro tem, diante desses cada vez mais frequentes discursos, a obrigação de afirmar a absoluta inegociabilidade de nossa soberania. Se a comunidade internacional está preocupada com o futuro da reserva amazônica que trate de adotar medidas concretas que ajudem o Brasil e os governos latino americanos que têm jurisdição sobre ela.
Entre as medidas concretas, sugerimos destinar um percentual dos encargos das dívidas externas desses países para aplicar em políticas de vigilân…

O risco do Avestruz!

A semana começou terrivelemente complicada para o Governo. Talvez esse seja o pior momento da gestão Lula. Parece que a necessidade de governabilidade está chegando a um limite perigoso para as forças políticas que o sustentam. E isso não é bom para o País.
Como cidadão, me preocupa o "faz de conta que nada tá acontecendo" do Presidente. Denúncias de corrupção atingem membros do Governo a cada dia. A oposição, com ganas de ganhar espaço, está ganhando força política e a opinião pública começa a ficar insegura sobre o que é verdade ou não com relação à capacidade de gerência política eficaz do Governo. Fazer como o avestruz é fatal para um governo que sabemos, por principio e história política, não compactuar com a corrupção.
Isso é um perigo que não se pode alimentar. Crises políticas se instalam quando os dirigentes adiam decisões e dão a impressão de que estão inseguros. Ou o Presidente toma as medidas, ainda que preventivas, para afastar as sombras que rodeiam o Planalto e …

Trazeiro ou Bunda? O que é Politicamente correto?

A idéia de publicação de uma Cartilha destinada a corrigir linguagem considerada politicamente incorreta causou repercussão negativa junto a vários segmentos da sociedade, especialmente nos meios intelectuais.
Na verdade a iniciativa revela um perigoso comportamento de regular a linguagem e promover mudança cultural de cima pra baixo. Parece que se quer reproduzir aqui no Brasil a neurose linguística nascida nos EUA com relação ao que se considera politicamente correto. Aliás uma cópia de muito mal gosto.
Quebrar preconceito é uma coisa. Todos devemos, no processo de amadurecimento político, construir novas formas de relacionamento com nossos pares, o que inclui a linguagem. Mas isso consome tempo e até gerações. A linguagem escrita ou verbal tem uma complexidade tão grande e nela estão contidos uma gama tão grande de elementos conscientes e inconscientes que nenhum Estado pode regular eficazmente a fala de seus cidadãos e cidadãs.
Daqui a pouco, em se levando adiante a proposta estapafú…

Homenagem a Catulo da Paixão Cearense

Há 49 anos morria um poeta que traduziu em inspiradas letras o canto do sertanejo.
Costumo dizer que poetas tem parte com Deus, pois conseguem traduzir sentimentos com um carisma que faltam a tanta gente. Quem não se lembra desse clássico abaixo:
Luar do Sertão
(Catulo da Paixão Cearense)

Não há, ó gente, oh não
Luar como este do sertão...
Oh que saudade do luar da minha tema
Lá na serra branquejandoFolhas secas pelo chão
Esse luar cá da cidade tão escuro
Não tem aquela saudade
Do luar lá do sertão
Se a lua nasce por delas da verde mata
Mais porem um sol de prata prateando a solidão
A gente pega na viola que ponteia
E a canção é a lua cheia
A nos nascer do coração
Se Deus me ouvisse
Com amor e caridade
Me faria essa vontade
O ideal do coração:
Era que a morte
A descontar me surpreendesse
E eu morresse numa noite
De luar do meu sertão

Catulo, onde você estiver receba nossa gratidão pela riqueza de sua poesia.

Dez por um

Enquanto sua Secretária de Estado rondou por aqui falando de democracia e liberdade, o Governo Bush continua sua neurótica beligerância no Iraque.
Uma guerra construida sobre mentiras e a afirmação fálica do poder militar americano tem custado a vida de cidadãos e cidadãs iraquianas. Agora a moda, mesmo com a pseudo autonomia política do país, é adotar represálias contra os insurgentes na medida de dez por um. Explico: neste fim de semana sete soldados americanos foram mortos pela guerrilha. A resposta veio imediata: 75 pessoas foram assassinadas como insurgentes no dia seguinte.
O pior é que o mundo assiste a isso com uma normalidade assustadora. Encara as noticias sobre esses massacres com a mesma naturalidade com que vê os gols dos campeonatos de futebol de seus clubes.
Isso me faz lembrar o velho conceito de guerra de um renomado pensador: Guerra é a briga de homens que não se conhecem e se matam, em nome de homens que se conhecem e não se matam. Enquanto esses desconhecidos se engal…

Vinhos velhos em odres velhos

Hoje teve comício em Brasilia. Comício e panacéia de políticos que na oposição fazem o papel prescrito dessa encenação do Poder. Comemorando cinco anos de uma lei que até agora não teve eficácia nenhuma contra ninguém, o PSDB fez seu primeiro ato eleitoral com vistas a 2006.
O que acontecerá então? Em 2006 teremos a magnífica opção entre atores que representam papéis iguaizinhos com uma diferença apenas de cenário: os que estão em cima e os que estão em baixo.
Cada vez mais me aproximo do anarquismo, porque a democracia representativa não tem acrescentado ética e responsabilidade no exercicio do serviço público Velhos personagens com discursos invertidos. Nem melhorou a qualidade do vinho, nem dos odres onde são guardados.

Quem será a Próxima Vítima do FMI?

A sucessão de rebeliões sociais e o agravamento de crises institucionais na América Latina tem feito sucessivas vítimas governamentais.
Agora a bola da vez é a Nicarágua. O nível de mobilização social contra o Governo Polaños está ficando cada vez mais fora de controle. E a questão de fundo tem sido sempre a mesma: o mercado.
Na atual configuração economicista do mundo, onde o poder de decisão se desloca do político, dos Estados Nacionais, para os centros financeiros, é de se questionar a velha idéia de autodeterminação dos povos.
Os Governos se tornaram apenas gerentes econômicos. Não existe autonomia na construção de políticas públicas. Essas sempre são "permitidas" ou não pelo gráu de comprometimento internacional das economias nacionais. Até política de preços precisa ser definida por uma agenda que vem de fora.
Observem nosso país. Está cada vez mais preso na lógica de superávit fiscal e de políticas que atendem primeiramente os interesses da capital internacional.
Por enqua…

Brasil: Justiça sem sensibilidade social

Impressionante como a justiça no Brasil, ao invés de ser uma instância de superação das desigualdades pela afirmação dos direitos, reproduz vergonhosamente pesos e medidas desproporcionais. Estamos cansados de ver os ricos escaparem do rigor das leis através de protelações proporcionadas por seus advogados e naturalmente concedidas pelos juizes e juizas, sob o argumento de que respeitam os ritos processualistas. Crimes contra a economia popular, contra o sistema financeiro, corrupção ativa e passiva, nepotismo, evasão fiscal, remessa ilegal de dinheiro, entre outros, cometidos por quem se encontra nos escalões mais abastados do País se arrastam uma eternidade e seus autores usam do direito de responder aos processos em liberdade.
Quando se inverte a pirâmide social dos acusados a coisa muda mesmo. Pobres cometem crimes e são severamente alcançados pelo rigor, muitas vezes sem a assistência legal obrigatória para os que não podem pagar um procurador.
O perfil social do criminoso e a natu…

Banana para Condolessa!

Calma pessoal.... não se trata de nenhuma frase ofensiva à Secretária de Estado norte-americana. Foi apenas parte do cardápio oferecido a ela pelo cerimonial gastronômetro do Itamaraty ontem a noite, após um dia em que, com ares de professora, desfilou por Brasília, dando aula de democracia e liberdade.
É interessante notar como a retórica dos EUA é fluente em definir o que acha ideal para os seus interesses econômicos e estratégicos. Ao defender que a Venezuela precisa de cuidados e de um certo monitoramento político no continente, em razão dos rumos preocupantes que está tomando com relação ao Governo Bush, Condolessa Rice se esquece de que seu governo foi responsável por alimentar a tentativa frustrada de golpe contra o Governo Chaves.
Uma das coisas fundamentais para dar credibilidade a um discurso é a coerência do retor. E não me parece que os EUA sejam um primor em democracia em qualquer dos campos que se possa imaginar. Sua política intervencionista no Oriente Médio, na América L…

Mais uma pérola do Presidente

"Às vezes, um cara está num bar tomando um chopp e xinga o banco, os juros, e no dia seguinte é incapaz de levantar o traseiro e fazer a transferência para um banco mais barato. É o comodismo"Presidente Lula ao discursar ontem

Definitivamente o Presidente Lula não avaliou com profundidade o que falou ontem ao lançar o Programa de micro-crédito para pequenas empresas. No afã de conquistar a simpatia dos circunstantes, fez uma afirmação tremendamente infeliz, culpando a classe média pelo aumento dos juros. Essa afirmação atinge em cheio o segmento mais punido pelo arrocho fiscal empreendido pelo governo.
Não se trata de desconhecer a necessidade que o Brasil tem de realizar ajustes fiscais. Desde que os recursos sejam efetivamente gastos em políticas públicas que reduzam a enorme dívida social. O que é inadmissível é se culpar a classe média que não tem os incentivos que estão sendo dados aos ricos - industriais, empresários do agro-business e banqueiros. A classe média paga sim…
para os curiosos..aqui vai!

Superávit Primário e Conflitos no campo

A recente publicação do Relatório da CPT sobre conflitos no campo traz à tona uma questão que nos preocupa fortemente. A despeito da redução do número de mortes resultados de conflitos, o Relatório aponta para o crescimento das tensões e a falta de priorização do Governo Federal no enfrentamento da questão agrária. O número de despejos de familias aumentou. O assentamento de familias, estabilizando suas vidas e normalizando a produção de alimentos foi muito abaixo daquilo que o próprio governo planejou. O corte de 60% das verbas destinadas a Reforma Agrária, em virtude das metas de superávit primário acertadas com o FMI, coloca em destaque a prioridade de ajustes macro-econômicos.
Tudo isso revela a incapacidade política do governo de lidar com os interesses opostos entre agronegócio e agricultura familiar. Parece que, no jogo de forças entre estas duas vertentes, não se consegue esconder a opção pelo setor que tem trazido divisas através da expansão das exportações. Mas será que neces…

Poder e Fragilidades!

Como a transitoriedade do poder é visível cada vez mais quando assistimos o que acontece na pequenina nação do Equador. Um Presdidente que chega ao poder num rastro de legitimidade política fantástico e, faltando mais da metade seu governo, é obrigado a fugir de uma turba revoltada, desejosa de fazer uma verdadeira catarse coletiva contra quem as desconsiderou!
Esse fenômeno está cada vez mais frequente nessa nossa emotiva América Latina. Parece que as leis não conseguem reger de fato as relações políticas no continente. Cada vez mais se usa dos recursos da força - tanto governantes como governados - para fazer valer o que se entende que é melhor para a sociedade. E aqui fica a questão: qual a verdadeira consistência de um sistema político? Ou então essa: Quais são os limites da democracia representativa?
X-(

Esperança e Inquietude

A eleição de Bento XVI torna-se uma incógnita para os próximos dias. Como agirá o homem que durante duas décadas foi marcado pela imagem de um conservador dogmático e avesso a reformas na Igreja?
Isso o tempo dirá. Como Papa, nem sempre é possivel se ser apenas o que se quer. A Cúria tem seu peso e o cálculo político faz parte das manifestações do Pontífice que é também um chefe de Estado.
Ser prefeito de uma Congregação interna e importante da Igreja é uma coisa. Ser Papa é outra. Como Bento XVI se sairá no cenário internacional?
Existe o risco de isolamento, o que não é desejável politicamente. As pressões do laicato não são tão desprezíveis assim. Além do que, apesar do aparente consenso na sua escolha, o novo Papa sabe que há fortes segmentos, mesmo na Europa, além da América Latina, que reivindicam mudanças na estrutura e no discurso do Vaticano relacionados com questões ligadas à ética sexual, procriação e genética.
Inteligência e capacidade política o Papa tem. Resta ver se essa…

Igreja e Midia

É incrivel como a Igreja tem a capacidade de mobilizar a midia internacional para os seus ritos de passagem de poder. O papado de João Paulo II revolucionou esse campo e pôs a Igreja no centro das atenções.
Resta esperar que essa força midiática se converta em mobilização da opinião pública para os temas que afligem dois terços da humanidade como a fome, a exclusão e a guerra.