Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

Political poverty: an analyses on the Rio+20

I reaffirm my disappointment with the outcome document from the official Conference Rio+20. 
The governments representation has to present clear excuses to the Civil Society. Despite all efforts, the voices from People`s Summit was sistematically ignored. The geographical distance between Aterro do Flamengo and Rio Centro was also political!
Some of the diplomatic representatives - specially from the North - try to justify that this Conference was handed in a financial turmoil in Europe and the focus from their governments were in try to manage  economic stability. The question is: stability for who?
They have no excuses. Billions of euros had been spended in save banks and governamental budgets. To maintain the same under same rules.
The fact that no clear commitment with financial changes and also with fiscal policies within the Rio+20 Final Document reveals the lack of political will to change. A lot of words and a lack of will.
Unfortunately the brazilian government also failed to push…

Rio+20: Do fiasco à faísca!

A última versão do documento que será apresentado para decisão na Rio+20 pelos representantes oficiais dos governos e que será o documento final da Conferência apresenta uma fragilidade conceitual preocupante. As quase setenta páginas da última versão - a oficial deverá ter cerca de 30 a 40 - são resultado de várias rodadas de negociação entre delegações internacionais que ainda não conseguiram chegar a um consenso. Interesses políticos e econômicos interferem no processo e o documento final pode se tornar uma colcha de retalhos sem uma lógica adequada entre as propostas para o futuro da humanidade.
Os grandes limites para um documento mais proativo são a falta de consenso entre os representantes das economias ricas, emergentes e pobres e a pressão de grandes corporações que cada vez mais asssumem a retórica da chamada economia verde.
Na versão do documento até o momento há um completo silêncio acerca do clamor ecumênico de que a lógica do consumo e a exclusão dos pobres devem ser …

Dia do meio ambiente: cuidado com as fachadas

Neste dia mundial do meio ambiente gostaria de provocar uma reflexão sobre a conjuntura que vivemos hoje no Brasil e no mundo, especialmente quando nos aproximamos da Cúpula dos Povos na Rio+20. Diante do cada vez maior clamor dos povos a respeito da necessidade de se fazer uma mudança radical no modelo econômico, as elites mundiais continuam desenvolvendo suas estratégias de dissimulação. A prova é que o documento que deve chegar à Rio+20, elaborado pelos governos e depois de muitas rodadas  de negociação, pode representar um tímido acordo entre as elites políticas. E certamente postergará para a próxima Conferência as decisões que já deveriam ter sido tomadas há uma década atrás.  Só existe uma esperança para a Rio+20 avançar: a mobilização política da sociedade civil contra a dissimulação do sistema.  O Capitalismo está em crise e, ao contrário do que muitos podem pensar, ele tem um enorme poder de se adequar às crises, mudar algumas máscaras e continuar sendo o que sempre foi: um pre…