Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2011

O que podemos fazer para um 2012 melhor?

Por estes dias, entre as tantas mensagens que trocamos através das redes sociais, li uma mensagem de uma amiga que me chamou a atenção e logo tratei de usar o recurso do compartilhamento. Sintetizando, a mensagem dizia que ao invés de pedirmos que o ano novo viesse cheio de coisas boas pra nós que pudéssemos ser pessoas melhores no ano novo. Um bom principio pra se refletir, pois normalmente a nossa atitude é esperar que o tempo nos traga tudo que desejamos, como se fossemos tão especiais e o tempo e a natureza conspirasse sempre a nosso favor. A conspiração até existe mas é de mão dupla!
Vivemos ligados a uma cadeia de eventos que nem sempre controlamos e com a qual precisamos interagir para mudar alguns direcionamentos.
Vamos tomar um exemplo para mostrar o quanto é importante mudar algumas atitudes. Geralmente desejamos que o Ano Novo nos traga Paz - talvez o mais atávico desejo da espécie humana - mas não deixamos de ser pessoas eternamente beligerantes. Normalmente esperamos que a…

How to be a gift from God this Christmas?

First, seeing the world through the eyes of God and finding in it the beauty of Creation. From this look, we will be ready to avoid that the profit and selfishness lead the world to be destroyed.
second, loving the world with God's heart, preventing people disregard their neighbors and to cultivate a culture of exclusion and poverty.
third, caring each other with kindness, preventing that people ignore the needs of others, violating rights and cultivating a culture in which the strong and powerful will always have primacy
finally, living the humility of the divine child, who assumed our humanity avoiding ourselves consider more than we are at the center of our being.
So, with pure eyes, heart, love, kindness and humility we will ready to build a new society where everyone can live the fullness of life.
To buid another possible world is at hand. It depends only from our ability to learn what God tells us through Christmas!

Um Feliz Natal!

Queridos irmãos e queridas irmãs!



Neste Natal experimente ir um pouco na direção contrária da massa... Da agitação das compras e do consumismo pare para contemplar o céu: lá está a estrela que nos convida a um novo caminho.

Neste Natal, ao invés de querer dar presentes, quem sabe não seja a hora de ser um presente.

Desejo a todo o povo de Deus, nesta querida diocese, em cada comunidade local, em nossa Provincia e no meio de todos os nossos irmãos e irmãs de caminhada ecumênica um Feliz Natal. E lembrando os áureos tempos dos gibis ( lembram? ) recebam esta singela mensagem anexa!

Dom Francisco de Assis da Silva

Mensagem de Advento

Ao clero e povo da Diocese Sul Ocidental



Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
2 Tim 1:7



Irmãos e Irmãs!



Vivemos um recomeço do ciclo nos convida a buscar com humildade o que Deus espera que façamos por palavras, atos e pensamentos. Toda a Criação se renova e ansiosamente deseja a plena comunhão com Aquele que é a razão e o fundamento de todas as coisas visíveis e invisíveis.

E que sentimentos povoam nossos corações neste Advento? Certamente o primeiro deles é o de gratidão. A graça de Deus não nos abandonou em nenhum momento neste ano que vai terminar. Mesmo em meio a tantos desafios que cada um de nós enfrentou, Deus jamais nos abandona.

Nossa diocese tem diante de si um caminho aberto para se fortalecer e cumprir com sua missão. Mas para que isso aconteça precisamos reconhecer que nem sempre temos sido fiéis ao chamado de Deus de nos entregarmos inteiramente à sua vontade. Temos falhado na qualidade do serviço e temos nos contentado…

Juventude: extermínio e descaso das autoridades

Assim como na Amazônia, em cada rincão brasileiro estamos assistindo o descaso das políticas públicas que protejam e dignifiquem a nossa juventude. A carta denúncia abaixo é apenas uma faceta do que acontece diariamente, encarado por muitos como eventos normais. É hora de se dizer: basta!

CARTA DENÚNCIA

“Será que ninguém vê
O caos em que vivemos?
Os jovens são tão jovens
E fica tudo por isso mesmo
A juventude é rica, a juventude é pobre
A juventude sofre e ninguém parece perceber...”

(Trecho da Música Aloha, Legião Urbana)



A Rede Ecumênica pela Promoção e Direitos da Juventude- REJU Amazônia, vem a
público manifestar sua indignação com a crescente onda de extermínio de jovens na
Região Metropolitana de Belém.

Belém vive um momento de profunda comoção e reflexão diante dos fatos ocorridos
no último fim de semana (19/11) no distrito de Icoaraci, com a execução de seis
adolescentes. Um crime brutal e desumano. Infelizmente essa chacina não foi a
primeira e não será a última a ser registr…

Carta Pastoral do Advento 2011

Câmara dos Bispos da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Queridos irmãos e irmãs, nós bispos e pastores da Igreja, queremos trazer à Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, uma mensagem de esperança neste novo tempo que se avizinha no Calendário Cristão. O Advento tem um caráter preparatório, apontando e nos preparando para celebrar o mistério da encarnação, em Cristo Jesus. Os eventos resgatados neste período nos falam de um Deus que acompanha bem de perto a jornada da humanidade, “Deus conosco” (Mateus 1:23).
Apresentando essa mesma perspectiva, uma narrativa do Êxodo nos conta que Deus disse: “Eu tenho visto como o meu povo está sendo maltratado no Egito; tenho ouvido o seu pedido de socorro por causa de seu feitores. Sei que estão sofrendo. Por isso desci para libertá-los do poder dos egípcios e para levá-los do Egito para uma terra grande e boa” (Êxodo 3:7-8). Esse trecho das Escrituras nos mostra um Deus sensível, comovido com o sofrimento humano, que está disposto a descer das alt…

Um jogo sem graça: o que é afinal segurança pública?

Na operação policial que culminou com a prisão do traficante Nem, chamou a minha atenção uma frase de um policial gritando aos microfones da TV: E aí jogador! Perdeu!! Eu até fiquei esperando aparecer na tela a famosa frase de quem joga vídeo games em computador: você venceu!
Nada mais natural numa operação dessa ordem se ouvir palavras de ordens dos policiais caracterizando uma catarse pelo sucesso de sua ação.
No entanto, e para a nossa reflexão, caberia uma análise do conteúdo da expressão. A Segurança Pública não pode ser um jogo, onde se possa ter ganhadores de um lado e perdedores do outro.
E aqui levanto algumas questões que julgo relevantes na discussão:
A Segurança Pública é para garantir a manutenção de um jogo midiático entre bandidos e sociedade? Cada lado exibindo sua força que captura a atenção do público? Caracteriza-se ela por ações dignas de seriados policiais criados para divertir o público e levá-lo à sensação de que o bem sempre triunfa sobre o mal?
Certamente que …

A Economia precisa se revestir de Humanidade

A presente crise econômica que tem causado apreensão nos mercados e nos governos da Europa, Ásia e Estados Unidos se constitui numa oportunidade única para os líderes mundiais repensarem o modelo capitalista que ainda é hegemônico no mundo.

O que mais me chama a atenção - e tenho dito isso em todas as audiências para as quais tenho tido a oportunidade de falar - é a submissão absoluta de Estados aos executivos e gerentes financeiros. Quando digo isso me refiro claramente aos magnatas e investidores que se arrogam no direito de decretar, como nos circus romanus, a vida e a morte de bilhões de pessoas. Ao invés de indicadores para cima ou para baixo - gesto dos imperadores para salvar ou não a vida dos derrotados nas arenas - a arma mais temida hoje é o teclado de lap tops que determinam a mobilidade incontrolada de capitais ao redor das mesas de apostas - bolsas - pelo mundo.

Recordo que na crise de 2008, cantada e decantada como a maior da história recente do capitalismo…

Tributo a Steve Jobs

Steve Jobs concluiu sua jornada na História e certamente deixa marcas que são inesquecíveis não somente para seus fãs dos tantos "Is" que criou, mas para todos nós.
Ousadia -  uma das marcas do grande inventor foi sua capacidade de ousar.  A criatividade era seu estilo e não tinha limites e para alcançar a perfeição.  Conta-se que tinha o costume de exigir dos seus funcionários dedicação absoluta à marca e para tal, quando havia um lançamento de um novo produto, cuidava pessoalmente de garantir absoluto sigilo ainda que fosse necessário impedir o contato de sua equipe com o mundo exterior à empresa. Era capaz de deixar os fãs de sua marca com a respiração suspensa até o lançamento de suas invenções. 

Inovação - Não se pode esquecer que Jobs foi um diferencial dentro da história da tecnologia. Detestava copiar o lugar comum. Dotado de grande visão, imaginava em como seus produtos podiam trazer satisfação ao seus consumidores. Conforto e eficiência estavam no centro de suas preo…

Quantidade ou qualidade?

A discussão sobre a ampliação - ou não - do número de vereadores na cidade de Santa Maria deve ir para além do simples fato de aumento do número de "representantes" da população no legislativo municipal. De cara se percebe que não se pode confundir aumento de cadeiras na Câmara e ampliação de representatividade popular. Todos sabemos os limites em termos de capacidade legiferante que os legislativos municipais tem na direção de realmente transformar a realidade dos municípios. Outro aspecto a se considerar é o custo e impacto no que seria um aumento de 50% da estrutura da Câmara. Em tempos que se precisa primar por se suprimir desperdícios - comuns na estrutura administrativa brasileira - aumentar gastos com parlamentares, assessorias e infraestrutura deve ser repensado.
A Câmara Municipal de Santa Maria poderia servir de exemplo ao País se, ao invés de ampliar sua estrutura, criasse um mecanismo político mais eficiente para que seus 14 vereadores pudessem real…

Monopólio de Comunicação e Democracia

A recente recomendação do Congresso Nacional do PT sobre um marco regulatório para os meios de comunicação causou alvoroços no ninho das grandes corporações de mídia no Brasil. A leitura imediata que se propagou foi a de que podemos ter o retorno da censura. Evidente que propalar essa versão tem a clara intenção de manipular a opinião pública sobre a realidade perversa que se vive hoje no país, onde as grandes corporações definem o que e como é informada a sociedade.  Senão vejamos: quais meios de comunicação tem dado cobertura ao processo de apuração das suspeitas que recaem sobre o Presidente da CBF? Óbvio que não interessa aos conglomerados midiáticos colocar em risco contratos milionários com patrocinadores e cartolas do futebol. São estes patrocínios que sustentam hoje os orçamentos das TVs tanto abertas quanto à cabo. Não tenho visto ninguém levantar o tapete que esconde o processo quase "secreto" dos milionários projetos de preparação para a Copa de 2014, os quais te…

Meio Ambiente: quebra de braço entre lucro imediato e um futuro sustentável

A senadora Katia Abreu (DEM-TO) declarou hoje perante Comissões que analisam o novo Código Florestal que os ambientalistas tomaram conta dos órgãos que regulam a política de meio ambiente no Brasil. Para além de uma frase que pareceria redundante, a senadora confessa seus mais íntimos desejos de que os órgãos de regulação do meio ambiente deveriam estar em outras mãos: de preferência dos ruralistas, é claro.
Neste longo debate entre ruralistas e ambientalistas, deveria ficar claro alguns parâmetros, a meu ver. O país muito deve aos que tornaram a agricultura brasileira uma das mais competitivas do mundo. A própria senadora é presidente da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil e tem se destacado por defender com unhas e dentes - às vezes muito bem com os dentes - os interesses desse segmento. O problema reside em como ela defende estes interesses em detrimento de interesses maiores da sociedade brasileira.
Na discussão sobre o Código Florestal, a senadora tem esposado opini…

Pais: construam um mundo que acredita no amor!

Nestes tempos de mudança de padrões de comportamento, me dirijo aos pais espalhados por este mundo afora. Normalmente se aplicava aos pais a tarefa de serem os mantenedores da familia e uma espécie de "última instância" no cumprimento de um papel quase sempre ligado à disciplina. As novas gerações de pais, especialmente após o advento da emancipação feminina, tem abandonado este padrão e cada vez mais experimentado a alegria de estarem mais próximos de seus filhos.
Neste processo de transformação, muitos tem tido a alegria de assumirem o cuidado dos filhos e se permitido a alegria da intimidade, da ternura e do se redescobrirem no afeto.
Mas mesmos aquele que já não estão mais conosco e que fizeram parte das gerações dos durões, sempre encontravam uma oportunidade de trocar um afeto - às vezes tímido - com seus filhos libertando-os do medo e fazendo eles descobrirem que para além da máscara de seriedade havia um grande coração. Sou imensamente agradecido a Deus pelo meu dur…

Política e Polícia: uma equação a se resolver

Inglaterra, 2011. Ruas ocupadas por uma massa dominada pelo ódio desafiando a polícia, depredando bens, casas e destruindo tudo o que vê pela frente.Isso podia muito bem ser uma cena de filme de ficção sobre algum vírus alienígena dominando as pessoas, como uma ação arquitetada por alienígenas de inteligência superior, desejosos de dominar a Terra. Infelizmente a ficção não é mais ficção: é a pura realidade! Parece uma repetição dos distúrbios de rua que sacudiram Paris há um tempo atrás ou então a Atenas de até agora há pouco, com uma multidão na rua desafiando a ordem. Para além da constatação dos fatos, tenho visto diferentes percepções do fenômeno que me chamam a atenção. A quase totalidade deles justifica a explosão de violência como uma ação arquitetada por grupos criminosos que se aproveitaram de um fato isolado e até certo ponto rotineiro no dia a dia da capital inglesa: a abordagem policial infeliz a um imigrante.
O governo, pego de surpresa, buscou agir dentro da estratégia d…

A coisa não é tão glamorosa assim.....

Li um artigo no conceituado Financial Times no qual se lia que o Brasil está de forma privilegiada assistindo à crise econômica que afeta o mundo. Em outras palavras, a economia brasileira vive uma tranquila situação, comparada com o frenesi que vivem economias como as dos EUA, Grécia, Itália e Espanha. Para mim, no entanto, essa aparente euforia merece alguns cuidados. Sem dúvida, as políticas de estabilização econômica e inclusão social vividas nos governos FHC e Lula elevaram o Brasil a uma situação privilegiada. No entanto, essa euforia pode carregar consigo o germe de um colapso que pode se revelar incontrolável. O crescimento do consumo, se por um lado aumenta a qualidade de vida de milhões de pessoas, pode se tornar um perigoso vírus se não for controlado rigorosamente por fundamentos econômicos que resistam a um desmedido consumo e/ou uso do crédito. A prova disso começa a ser vivida com um esgotamento da produção industrial que pode ser estrangulada pela falta de uma infra-e…

Flores para calar a violência

A tragédia que se abateu sobre a Noruega nos deixa pasmos diante de uma realidade inexplicável. A despeito de todas as tentativas de análise sob diversos ângulos, o que fica em nossas mentes e corações é um profundo sentimento catatônico. Uma sociedade com um dos perfis mais pacifistas do mundo foi atingida em sua psiquê coletiva por um golpe covarde e inesperado de um indivíduo dominado por um ódio desmensurado. Uma pessoa que. sem dúvidas, poderiamos dizer completamente dominada pelo que se pode chamar de sombra da morte.Um inimigo declarado da tolerância e da civilidade. Um aprisionado de uma ideologia quase inconcebível para os novos tempos. Um típico caso de transtorno de personalidade que, segundo algumas estatísticas psiquiatricas atinge de 0,5 a 3,0% da populaçao em geral. São pessoas que geralmente não despertam nenhuma suspeita e que podem estar convivendo conosco em circunstâncias absolutamente normais. Para acionarem o seu potencial violento e destrutivo necessitam apenas …

Amy e a perversão da mídia

A morte de Amy Winehouse certamente levanta algumas questões sobre como se trata os artistas e as celebridades no mundo. A jovem estrela britânica certamente sucumbiu ao peso da fama e hoje os que quase canonizam a pop star foram os mesmos que não tiveram nenhuma misericórdia com seus contínuos tropeços por causa da fuga que ela encontrava na dependência química.Minha crítica à mídia não se dá no campo da censura ao direito de informar ou retratar a realidade. Se dá no campo da ética e do respeito à dignidade humana. Amy sempre pediu socorro ao mundo através de suas músicas. Mas ninguém foi capaz de ouvir seu clamor. Pelo contrário, usufruíram da sua genialidade e a fizeram chegar num pedestal onde tinha que se sentir estrela e não uma mulher comum, com seus sonhos, suas paixões e suas depressões.Quando a pulsação de sua baixa estima se tornava incontrolável, explodia incontrolavelmente em aparições públicas que a jogavam ainda mais para o fundo do poço. Nestes infelizes momentos, a m…

No caminho da obediência ao chamado de Deus

Com muita alegria vivemos a experiência do Concílio Diocesano da Diocese Sul Ocidental neste fim de semana. Uma acolhida calorosa da Paróquia de Jesus Cristo, em Erechim, foi o começo de uma rica reunião conciliar. Clero e povo da diocese se reuniu para celebrar, avaliar passos e olhar para o futuro. O lema nos chamou a todos e todas para a obediência ao chamado de Deus para a Missão. Na carta pastoral dirigida aos conciliares, destaquei a necessidade de passarmos do ouvir para o obedecer de acordo com o texto da pesca maravilhosa. Na Eucaristia de abertura, nosso irmão D. Miguel Tamayo, bispo da diocese companheira do Uruguai, nos lembrou o comportamento de Pedro. Um comportamento de obediência mesmo contra todas as evidências. Não é fácil sairmos de nossa racionalidade e dar lugar à uma fé que nos faz lançar as redes quando tudo aponta para uma pesca infrutífera. Sair do conforto de que tudo está bem é uma tarefa que exige coragem. No caso de nossa diocese, pudemos ver alguns relató…

Copa 2014: qual o limite entre o público e o privado?

Assistimos recentemente à uma discussão política sobre a questão do sigilo e das licitações relacionadas à próxima Copa do Mundo no Brasil.
Diversos posicionamentos à direita e à esquerda trataram de argumentar sobre questões de urgência, de cronograma e de transparência no trato de projetos que envolverão bilhões de reais e trarão inevitavelmente impactos na economia brasileira.
Mas o mais preocupante de tudo foi a possibilidade de se garantir que a execução das obras pudesse ser isenta do monitoramento da sociedade, criando-se assim um estado de exceção favorecedor de desperdício de recursos públicos.
Ninguém deseja, é claro, que o Brasil passe a vergonha de sediar uma Copa do Mundo sem oferecer as devidas condições de infraestrutura. Principalmente quando o país ocupa hoje um especial lugar de nação que tem ampliado sua potencialidade econômica e avançado no respeito que hoje lhe é creditado como economia emergente.
No entanto, essa corrida contra o relógio para cumprir um…

Pelo resgate da Verdade Histórica

Ninguém tem o direito de apagar a memória política do país, especialmente quando se tem em conta as atrocidades cometidas contra cidadãos e cidadãs em nome de uma ideologia ou governo.
Hoje, em São Paulo, haverá a repatriação de importantes documentos que retratam os lamentáveis episódios dos chamados anos de chumbo. Documentos que expõem a vergonha de uma Nação que tem como primado de sua gente a liberdade. Atrocidades cometidas nos porões dos órgãos de segurança sob a benção dos intendentes de plantão. Dominados pelo medo e doutrinados pela ideologia da segurança nacional, agentes do Estado cometeram crimes que precisam ser expostos para que a sociedade brasileira conheça as bases de um regime que desconhecia o valor do Estado de Direito e determinava subjetivamente quem tinha ou não o direito de ter suas inalienáveis garantias constitucionais respeitadas.
Alguns dirão que não se precisa mais remexer no passado. Outros dirão que a anistia de 1979 foi um momento de reconci…

Mensagem de Pentecostes

Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa. Filipenses 2:2

Estou ainda ouvindo as risadas de nossos clérigos no último encontro do clero na diocese, realizado no fim de semana passado. Um momento de reflexão, partilha e de construção de uma base para o caminhar na direção de nosso concílio que se avizinha.
Refletimos sobre o silêncio como instrumento de introspecção e busca de orientação para cumprirmos o nosso papel como pastores de nosso povo. A presença de nosso irmão Renato, bispo da diocese companheira de Pelotas, atestou o potencial que nossas dioceses tem de ampliar seu comum comprometimento batismal.
Certamente que foram momentos de eternidade, parafraseando aqui uma frequente expressão de nosso Primaz. Esta semana pudemos viver a dádiva de celebrar os caminhos do ecumenismo, partilhando com outras Igrejas o sonho da unidade.
Todas estas constatações nos motivam para uma rica celebração de Pentecostes, na qual lembr…

Memória histórica: sem subjetivismos

A recente exposição sobre a história do Senado levada a efeito pela Casa causou uma reação nos meios políticos pela sutil omissão do impeachment do Presidente Collor.
Mais grave no entanto que esta amnésia histórica foi a justificativa do Presidente do Senado, Senador José Sarney, sobre a razão da mesma: irrelevante. Surpreendente a capacidade do senador e ex-Presidente de pautar a memória histórica do Brasil, desconhecendo que esta foi uma página definitiva no processo de redemocratização do país.
E quando o senador ainda acrescentou que este fato histórico não devia ter acontecido, quase me arrepiei.
O impeachment de Collor foi o grande teste da democracia brasileira. Mal se via ao longe os resquícios de obscurantismo que vivemos por vinte anos e já se tinha um dilema histórico para ser resolvido pela recém democracia civil: fortalecer as instituições democráticas ou ser conivente com um modelo de autoritarismo com cara civil.
As instituições democráticas prevaleceram e o clamor das rua…

IEPC: Como enfrentar as Armas de destruição em massa

Nesta manhã muitas importantes questões foram levantadas no plenário. Uma delas se relaciona em como lidamos como Igrejas com a política oficial de alguns governos em manterem armas de destruição em massa.
Certamente que esta não é uma questão de simples resolução. Após anos de guerra fria e a nova agenda de combate ao terror, parece que as lideranças das grandes nações do mundo estão como que condicionados a manter seus arsenais sempre prontos a serem usados diante de qualquer ameaça. Venha de onde vier e em que campo for.
O uso de tecnologia militar de destruição em massa tem sido usado não contra militares ou inimigos nacionalmente identificados, mas tem sido usado contra um inimigo que não tem necessariamente uma única Pátria e se move com uma velocidade nada parecida com a da guerra convencional. Assim sendo, o ataque contra esse inimigo móvel tem feito vítimas entre populações civis.
Ouvimos um emocionante testemunho de uma sobrevivente do ataque nuclear americano ao Japão em 1945 …

IEPC desafia as Igrejas a assumir seu papel

Muitos testemunhos de diversos lugares do mundo estão sendo compartilhados na Convocação Ecumênica pela Paz durante estes quatro dias. Sob várias perspectivas, sejam de fé, culturais e de gênero, todos são unânimes em reconhecer que o Planeta está a pedir socorro diante de tantas agressões e usos indevidos dos recursos humanos, financeiros e naturais.

A paz verdadeira só se consegue a partir de um olhar de acolhimento das diferenças. Para tanto se precisa construir uma metodologia de diálogo sincero entre povos, fés e culturas. Paz também pressupões uma inversão de agendas dos poderosos deste mundo, acostumados a estimular o medo e legitimar conflitos armados em nome de interesses que não são necessidades da maioria de seus povos.

As Igrejas e religiões têm um papel preponderante no processo de construção de uma cultura de paz. Todas são desafiadas a construir agendas positivas de reconciliação e diálogo entre elas mesmas. A crítica ao sistema dominante que transforma as pessoas em obj…

Divagações sobre diálogo e conflito: o caso Osama

O mundo inteiro assistiu ao Presidente Barack Obama anunciar que o terrorista mais procurado da História havia sido morto por forças especiais americanas no Paquistão. Isso sem sombra de dúvidas levanta uma questão que merece nossa atenção sobre a discussão da relação entre diálogo e conflito.
Não se pode questionar o efeito devastador do atentado de 11 de setembro na vida do povo norte-americano e em como esse fato criou o conceito de guerra permanente contra o terror.
No entanto, pode-se questionar sim a estratégia que o governo dos EUA adotou como resposta a esse infame evento da história da humanidade.
O que se viu na sequência foi uma sucessão de ações militares dos Estados Unidos no mundo sempre sob a justificativa de eliminação do terror como objetivo final. Nesta esteira não faltou recursos para custear operações caras e um endividamento público acarretando uma crise econômica que atingiu praticamente todas as economias do mundo, incluindo a própria.
O montante de recursos gastos…

Mensagem de Páscoa

E, saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos. Mateus 28:8


Diletos irmãos e irmãs do clero
Dileta família diocesana

Graça e Paz!

Estamos vivendo a Semana Santa e nela nos identificamos com o caminho da cruz de Jesus Cristo, vivendo na liturgia o seu embate com os poderes temporais e religiosos. Certamente uma semana que deixa claro o divórcio entre o projeto de vida e o projeto de morte.

Aparentemente neste conflito, os poderes deste mundo tiveram alguns momentos de sucesso porque condenaram e mataram o nosso Senhor. Mas a palavra final de Deus foi de vida e o túmulo ficou vazio.

Vivemos na vida diocesana um momento de novo ministério que traz consigo toda uma expectativa de cumprirmos como diocese o nosso papel de sermos uma presença sacramental no meio de nosso povo nesta parte do Rio Grande do Sul e no oeste catarinense.

Temos uma tarefa como povo de Deus que é manifestar os sinais de vida, mesmo em meio a sinais de morte…