Pular para o conteúdo principal

Eleições 2006: Crônica anunciada

Chegamos a junho. Isso significa que estamos a exatos três meses da eleição presidencial.
O quadro que tracei desde o início do ano parece alterado até para mais com relação ao que é probabilisticamente esperado. Isso significa que se nenhum fato fora de controle acontecer, o Presidente será reeleito com relativa facilidade. Até com a possibilidade de ganhar no primeiro turno.
Além das estratégias adotadas desde o inicio do ano, conforme demonstrei em artigos anteriores, surgiram novos fatos que corroboram a reeleição e o mais forte deles é a incapacidade de a oposição construir uma agenda política consensual e programática.
As divergências de egos nos arraiais tucanos e peemedebistas por si só ajudam o Presidente a continuar navegando em céu de brigadeiro.
As CPIs, convertidas em palanque perderam a credibilidade que poderiam ter tido se adotassem realmente uma metodologia mais investigativa dos fatos, do que uma vitrine de ávidos por mídia. Some-se a isso o golpe moral do Congresso, com seus sanguessugas e mensaleiros.
A economia dá sinais de recuperação e o manejo de política salarial do Governo tem sido eficaz. Mesmo a crise com a Bolívia, administrada com cautela não causou estragos à pessoa de Lula.
Resta agora ver como se dará a campanha na midia. E é ai que o Presidente tem seu maior desafio. Não o de imagem, pois é hábil no manejo dela. Mas o de Programa de Governo. Não há dúvidas de que ninguém se elege dizendo apenas que vai continuar o que vem fazendo. Ou, dizendo que o que vem fazendo não tem reparos a serem feitos. O eleitorado espera mais e com certeza não vai aceitar ser subestimado na sua inteligência. Se a oposição não decola por ausência de Programa, o eleitor não será flexível se Lula não apresentar qualquer diferencial.
Resta ver o que vai acontecer. Talvez a grande surpresa desa eleição seja o crescimento da candidata do PSOL. Mas nada que venha a causar estragos para uma reeleição que parece irreversivel.

Comentários

Caro Xico, gostei da análise. Lamentavelmente, estamos naquela de "ruim com Lula, pior sem ele"...
Um abraço
Caetano, ost
Hermann Gustavo disse…
Boa análise, Rev.
E concordo com o Luiz... na falta de outro vai esse mesmo.
Um abraço.
Hermann
Anônimo disse…
Olá Xico,

Gostei de sua análise. Porém temos que analisar mais as propostas e conteúdos programáticos dos partidos.
Como você já apontou, isto não está sendo feito.
Que tal artigos analisando as propostas lado a lado?

Abraços,

Edmilson Torres

Postagens mais visitadas deste blog

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…