Mais uma pérola do Presidente

"Às vezes, um cara está num bar tomando um chopp e xinga o banco, os juros, e no dia seguinte é incapaz de levantar o traseiro e fazer a transferência para um banco mais barato. É o comodismo" Presidente Lula ao discursar ontem

Definitivamente o Presidente Lula não avaliou com profundidade o que falou ontem ao lançar o Programa de micro-crédito para pequenas empresas. No afã de conquistar a simpatia dos circunstantes, fez uma afirmação tremendamente infeliz, culpando a classe média pelo aumento dos juros. Essa afirmação atinge em cheio o segmento mais punido pelo arrocho fiscal empreendido pelo governo.
Não se trata de desconhecer a necessidade que o Brasil tem de realizar ajustes fiscais. Desde que os recursos sejam efetivamente gastos em políticas públicas que reduzam a enorme dívida social. O que é inadmissível é se culpar a classe média que não tem os incentivos que estão sendo dados aos ricos - industriais, empresários do agro-business e banqueiros. A classe média paga sim, sem nenhuma escapatória, o IR na fonte e ainda tem de lambuja um elevado desconto para a falida Previdência Social.
Isso tudo como parte da lógica tributária brasileira que privilegia o capital em detrimento do salário. Lógica que a equipe econômica, formada historicamente nos embates contra o neo-liberalismo, não teve a coragem de mudar, repetindo fórmulas dantes combatidas.
Quem é responsável pela alta taxa de juros? O próprio governo. O Banco Central tem subido os juros com uma única e exclusiva finalidade: captar capitais externos e manter o controle artificial da inflação.
Onde estão os bancos baratos? Bem que o Presidente poderia ter apontado. Os bancos chamados públicos não estão preocupados em manter seus serviços a um custo social. Se assim fora, haveria uma corrida que certamente quebraria o sistema financeiro do País.
Para onde deve correr a classe média então? Para onde ela deve levantar o traseiro na busca de um menor escorchamento de sua renda? O Presidente esqueceu de dizer. Aliás, ele não esqueceu porque não existe saída. Apenas devemos lembrar ao Presidente que a classe média é composta de muitos eleitores que apostaram num governo de mudanças efetivas. Mudanças que não estão acontecendo como desejávamos. Só espero que a classe média não levante o traseiro para ir às urnas e mudar. Talvez ai ela saia do comodismo e não será nada agradável para o governo!

Comentários

Romi disse…
A impressão que me passa quando nosso presidente faz este tipo de comentário é que ele tem uma necessidade grande de ser aceito pela elite brasileira.
Também estou curiosa para ver o que acontecerá quando resolvermos levantar o traseiro. O Equador está aí como exemplo. Talvez precisamos sair do nosso comodismo. Não para avaliar o juro mais baixo, já que este não existe no Brasil, mas para reivindicar e exigir o projeto de governo que elegemos, ou que, pensamos ter eleito.
Maribel disse…
Meu marido me perguntou: O LULA não tem um assessor pra orientá-lo a falar em público? Ao que respondi: Tem, mas obviamente não lhe dá ouvidos.
Creio que o Presidente tem dado ouvidos a pessoas equivocadas em relação a situação dos brasileiros.
Achincalhar a classe média, aquela que, efetivamente, faz a roda da economia girar, é, sem dúvida, querer correr o risco dela sair do "comodismo" nas próximas eleições.
Juliana disse…
Também me perguntei; "onde estão os bancos mais baratos"?????????
Agora a culpa dos juros também é nossa...É cada um por si mesmo.
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Segunda-feira Santa