Pular para o conteúdo principal

Mais uma pérola do Presidente

"Às vezes, um cara está num bar tomando um chopp e xinga o banco, os juros, e no dia seguinte é incapaz de levantar o traseiro e fazer a transferência para um banco mais barato. É o comodismo" Presidente Lula ao discursar ontem

Definitivamente o Presidente Lula não avaliou com profundidade o que falou ontem ao lançar o Programa de micro-crédito para pequenas empresas. No afã de conquistar a simpatia dos circunstantes, fez uma afirmação tremendamente infeliz, culpando a classe média pelo aumento dos juros. Essa afirmação atinge em cheio o segmento mais punido pelo arrocho fiscal empreendido pelo governo.
Não se trata de desconhecer a necessidade que o Brasil tem de realizar ajustes fiscais. Desde que os recursos sejam efetivamente gastos em políticas públicas que reduzam a enorme dívida social. O que é inadmissível é se culpar a classe média que não tem os incentivos que estão sendo dados aos ricos - industriais, empresários do agro-business e banqueiros. A classe média paga sim, sem nenhuma escapatória, o IR na fonte e ainda tem de lambuja um elevado desconto para a falida Previdência Social.
Isso tudo como parte da lógica tributária brasileira que privilegia o capital em detrimento do salário. Lógica que a equipe econômica, formada historicamente nos embates contra o neo-liberalismo, não teve a coragem de mudar, repetindo fórmulas dantes combatidas.
Quem é responsável pela alta taxa de juros? O próprio governo. O Banco Central tem subido os juros com uma única e exclusiva finalidade: captar capitais externos e manter o controle artificial da inflação.
Onde estão os bancos baratos? Bem que o Presidente poderia ter apontado. Os bancos chamados públicos não estão preocupados em manter seus serviços a um custo social. Se assim fora, haveria uma corrida que certamente quebraria o sistema financeiro do País.
Para onde deve correr a classe média então? Para onde ela deve levantar o traseiro na busca de um menor escorchamento de sua renda? O Presidente esqueceu de dizer. Aliás, ele não esqueceu porque não existe saída. Apenas devemos lembrar ao Presidente que a classe média é composta de muitos eleitores que apostaram num governo de mudanças efetivas. Mudanças que não estão acontecendo como desejávamos. Só espero que a classe média não levante o traseiro para ir às urnas e mudar. Talvez ai ela saia do comodismo e não será nada agradável para o governo!

Comentários

Romi disse…
A impressão que me passa quando nosso presidente faz este tipo de comentário é que ele tem uma necessidade grande de ser aceito pela elite brasileira.
Também estou curiosa para ver o que acontecerá quando resolvermos levantar o traseiro. O Equador está aí como exemplo. Talvez precisamos sair do nosso comodismo. Não para avaliar o juro mais baixo, já que este não existe no Brasil, mas para reivindicar e exigir o projeto de governo que elegemos, ou que, pensamos ter eleito.
Maribel disse…
Meu marido me perguntou: O LULA não tem um assessor pra orientá-lo a falar em público? Ao que respondi: Tem, mas obviamente não lhe dá ouvidos.
Creio que o Presidente tem dado ouvidos a pessoas equivocadas em relação a situação dos brasileiros.
Achincalhar a classe média, aquela que, efetivamente, faz a roda da economia girar, é, sem dúvida, querer correr o risco dela sair do "comodismo" nas próximas eleições.
Juliana disse…
Também me perguntei; "onde estão os bancos mais baratos"?????????
Agora a culpa dos juros também é nossa...É cada um por si mesmo.
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…