Um Natal diferente!

E depois do terremoto um fogo; porém também o SENHOR não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.1 Reis 19:12


Tenho refletido ultimamente sobre o impacto dos festejos natalinos na vida das pessoas de maneira geral. Numa sociedade cada vez mais dependente do consumo e da aparência (meios pelos quais o mercado se alimenta) este período do ano é o de maior concentração de tensões psicológicas que passam quase despercebidas por alguns.
Poucas pessoas - certamente vistas com estranheza pela maioria - conseguem escapar ao frenesi desta estação que tem mais a ver com rituais sociais do que propriamente com o ilustre aniversariante: o próprio Deus em forma de criança.
Estava conversando com uma pessoa por estes dias e o que ouvi dela me inspirou escrever umas linhas sobre o Natal. Esta pessoa me dizia que estava com a agenda cheia de compromissos e com uma lista de compras que não sabia como ia dar conta. Ai eu perguntei a ela: você precisa mesmo cumprir à risca toda essa agenda? você precisa mesmo se sacrificar financeiramente para cumprir expectativas de outras pessoas? Nisso tudo onde está o seu bem estar espiritual?
Não preciso dizer que ela me olhou com olhos de espanto e tratou de desconversar sobre as respostas. Não a censurei por isto. Nem queria causar culpa nela, apenas levá-la a refletir sobre o valor agregado, em termos espirituais, que ela poderá contabilizar quando ultrapassarmos a barreira do primeiro dia do novo ano.
Por isso, me proponho aqui a provocar uma reflexão sobre como poderiamos celebrar um Natal diferente. Um Natal que nos traga o encontro não somente com  o Menino Deus mas também conosco mesmos.
Algumas dicas podem ser úteis. Que tal desenvolver desde agora em diante o hábito de gastar dez minutos por dia desligado de tudo, em um ambiente relaxante, conversando com Deus sobre o que é mais importante para a nossa vida?
Ou então, que tal reservar tempo igual diariamente para avaliar em que avançamos ou não na nossa maturidade espiritual. Deus é uma realidade presente na nossa vida ou apenas quando estamos em apuros? Nos bons momentos atribuímos a nós mesmos os méritos,  esquecendo de Deus? Conseguimos enxergar o que é espiritual mesmo no meio do burburinho da vida material? 
Até mesmo, se você não sente a coragem necessária para realizar as reflexões acima propostas, pode reservar estes mesmos dez minutos para uma leitura de um Salmo, ou mesmo os relatos bíblicos do Nascimento do Salvador. Pode ser por partes. Não precisa querer abarcar tudo de uma vez. A Palavra de Deus nos atrai se nos abrimos para lê-la com a devida atenção! Eu tenho que certeza de que este passo pode ajudar você a dar outros passos. 
Faça isso e verá o quanto avançará. Mas lembre-se: é importante perseverar, criar o hábito, disciplinar-se! E lembre-se: Deus nos quer proporcionar paz e alegria, aquela mesma que fez toda a Criação e os céus cantarem o Glória in Excelsis Deo. E tenha certeza que ninguém canta tal canção com verdadeira alegria estando sob tensão e stress! 
Não deixe a correria, o stress e as expectativas sociais deste tempo retirarem de você a singeleza da comunhão com Deus e consigo mesmo! Vá ao encontro do Menino Deus em sua santa e humilde manjedoura!

+Francisco
 
 

0 comentários: