Pular para o conteúdo principal

Um Primaz de primeira viagem...

Gostaria de compartilhar a alegria de ter vivido minha primeira visita como Primaz ao Recife. Certamente que vivi a experiencia vivida por tantos que me antecederam neste oficio: a certeza de que este é um serviço para o qual sempre devemos estar cientes da necessária humildade para cumpri-lo.
Vivenciei a experiencia do famoso frio na barriga e enquanto estava dirigindo meu carro até Porto Alegre e daí, dentro do avião para a capital de Pernambuco, pensava em como seria esta experiência de um Primaz em sua primeira viagem.
Fui muito bem acolhido e carinhosamente acolhido pelos irmãos e irmãs da diocese. A começar do aeroporto com os braços abertos dos bispos Sebastião e João Peixoto. Senti o cuidado comigo por parte de todos. Viver o retiro abençoado com a presença de colegas bispos foi muito animador. Foi um momento muito especial de compartilharmos as exigências e bençãos do ministério episcopal  com nosso mais novo bispo. 
Na sexta-feira, junto com os bispos, tivemos uma reunião com o clero e lideranças diocesanas. Um momento de constatar a maturidade da Diocese Anglicana do Recife que - conforme foi destacado - pela primeira vez viveu uma experiencia de completo consenso e unidade em um processo sucessório. Ver um povo mostrar seu carinho ao bispo Sebastião neste momento que passa a liderança pastoral ao seu sucessor é sinal que vivemos tempo de saudável tradição. A pregação de Dom Mauricio foi pontuada pelo estimulo ao novo bispo de sempre buscar a verdade e sempre ser fiel dispenseiro do ministério que Deus lhe concedeu através da Igreja. E aí também se visibiliza a tradição sadia na Igreja: o antigo Primaz agindo com absoluta naturalidade e respeito ao novo Primaz e sempre atento para ajudá-lo no exercício de seu novo ofício, revelando assim que não somos eternos nem auto-suficientes em nossas funções. O respeito e a comunhão entre os bispos presentes me ensinaram ainda mais sobre a sacralidade de cada um de nós e daquilo que estávamos fazendo em nome de Deus.  Ali, cinco bispos estavam fazendo  o que vem acontecendo ao longo dos séculos, permitindo que a Igreja seja renovada através deste ministério. E isso do mesmo modo como antes outros bispos fizeram conosco e no qual caminhamos com nossas virtudes (tão poucas) e nossos limites (tão grandes) em serviço ao povo de Deus. 

De tudo que vivi nestes dias preciosos ficou algumas impressões:
 1. que a humildade é a principal mestra para nossos espíritos, pois ela nos ensina a depender dos outros e compreender que a auto-suficiência é perigosa sensação.
2. que quando agimos em comunhão uns com os outros, Cristo realiza a sua obra.
3. que a maior alegria que podemos sentir em nosso ministério episcopal é ver o povo aproximar-se ainda mais de Deus, não por causa de nós, mas apesar de nós!

Espero sempre Deus me conservar este sentimento de interdependência com meus irmãos e irmãs e de dependência da graça maravilhosa de Cristo! Isto me faz lembrar uma antiga canção clássica que embalou muitos cristãos no passado: 

"Graça! Quão maravilhosa graça! Como o firmamento, é sem fim! É maravilhosa, é tão grandiosa, Tão sublime e doce para mim! É maior que a minha vida inútil, Mais profunda que o imenso mar". 

++Francisco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…

Message from Primate of Brazil about Primate`s Decision on the recent meeting in Canterbury

Brothers and sisters,
As I expressed earlier, I did not want to communicate anything prior to the end of the meeting regarding the heat of the debates that followed the discussion taken by the majority of Primates in relation to the Episcopal Church of the United States (TEC). In other words, the temporary suspension for three years from all decision-making entities of the Communion, rooted in [TEC]’s decisions with respect to the Matrimonial Canon.

Today I arrived in Brazil and would like to share a pastoral word with the Church regarding this matter. This issue took up a disproportionate amount of time from the meeting and was very difficult for all of the Primates. The most extreme position of the GAFCON primates was to demand an apology or require the withdrawal from the Communion of both TEC and the Church of Canada. This position caused a reaction that brought the Primates into the center of the debate, and the more progressive members sought alternatives that might have caused a …