Pular para o conteúdo principal

Um Primaz de primeira viagem...

Gostaria de compartilhar a alegria de ter vivido minha primeira visita como Primaz ao Recife. Certamente que vivi a experiencia vivida por tantos que me antecederam neste oficio: a certeza de que este é um serviço para o qual sempre devemos estar cientes da necessária humildade para cumpri-lo.
Vivenciei a experiencia do famoso frio na barriga e enquanto estava dirigindo meu carro até Porto Alegre e daí, dentro do avião para a capital de Pernambuco, pensava em como seria esta experiência de um Primaz em sua primeira viagem.
Fui muito bem acolhido e carinhosamente acolhido pelos irmãos e irmãs da diocese. A começar do aeroporto com os braços abertos dos bispos Sebastião e João Peixoto. Senti o cuidado comigo por parte de todos. Viver o retiro abençoado com a presença de colegas bispos foi muito animador. Foi um momento muito especial de compartilharmos as exigências e bençãos do ministério episcopal  com nosso mais novo bispo. 
Na sexta-feira, junto com os bispos, tivemos uma reunião com o clero e lideranças diocesanas. Um momento de constatar a maturidade da Diocese Anglicana do Recife que - conforme foi destacado - pela primeira vez viveu uma experiencia de completo consenso e unidade em um processo sucessório. Ver um povo mostrar seu carinho ao bispo Sebastião neste momento que passa a liderança pastoral ao seu sucessor é sinal que vivemos tempo de saudável tradição. A pregação de Dom Mauricio foi pontuada pelo estimulo ao novo bispo de sempre buscar a verdade e sempre ser fiel dispenseiro do ministério que Deus lhe concedeu através da Igreja. E aí também se visibiliza a tradição sadia na Igreja: o antigo Primaz agindo com absoluta naturalidade e respeito ao novo Primaz e sempre atento para ajudá-lo no exercício de seu novo ofício, revelando assim que não somos eternos nem auto-suficientes em nossas funções. O respeito e a comunhão entre os bispos presentes me ensinaram ainda mais sobre a sacralidade de cada um de nós e daquilo que estávamos fazendo em nome de Deus.  Ali, cinco bispos estavam fazendo  o que vem acontecendo ao longo dos séculos, permitindo que a Igreja seja renovada através deste ministério. E isso do mesmo modo como antes outros bispos fizeram conosco e no qual caminhamos com nossas virtudes (tão poucas) e nossos limites (tão grandes) em serviço ao povo de Deus. 

De tudo que vivi nestes dias preciosos ficou algumas impressões:
 1. que a humildade é a principal mestra para nossos espíritos, pois ela nos ensina a depender dos outros e compreender que a auto-suficiência é perigosa sensação.
2. que quando agimos em comunhão uns com os outros, Cristo realiza a sua obra.
3. que a maior alegria que podemos sentir em nosso ministério episcopal é ver o povo aproximar-se ainda mais de Deus, não por causa de nós, mas apesar de nós!

Espero sempre Deus me conservar este sentimento de interdependência com meus irmãos e irmãs e de dependência da graça maravilhosa de Cristo! Isto me faz lembrar uma antiga canção clássica que embalou muitos cristãos no passado: 

"Graça! Quão maravilhosa graça! Como o firmamento, é sem fim! É maravilhosa, é tão grandiosa, Tão sublime e doce para mim! É maior que a minha vida inútil, Mais profunda que o imenso mar". 

++Francisco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desabafo de quem foi rotulado de vândalo pela mídia golpista

Acordei hoje pela manhã e me descobri vândalo!

Eu e 35 milhões de brasileiros que fomos ontem às ruas para protestar contra o desmonte dos direitos dos trabalhadores neste país.
Fizemos tudo de forma pacífica, organizada e corajosa. Aí, a mídia golpista estampa hoje na capa de um dos seus "pasquins" a foto de um vândalo (certamente infiltrado pela direita) depredando um banco talvez (porque não é uma creche, ou escola, ou hospital) e esta é a foto que caracteriza o gigantesco movimento de ontem nas ruas do Brasil.

Lamentável esta postura, que aliás não é de hoje. Não é a mídia que me define quem eu sou! Vândalos são aquelas pessoas que sugam o sangue dos trabalhadores para dá-lo de bandeja para os que se alimentam do sofrimento do povo. Enquanto os brasileiros se entorpecerem com esta mídia nojenta e vendida à publicidade dos exploradores do povo a qualidade do jornalismo brasileiro será vergonhosa.
Não se trata de achar que a mídia tem que ser de esquerda. Mas apenas de que …

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…