sábado, dezembro 28, 2019

Um país cada vez mais (des) civilizado e entorpecido!

Me recordo que meu primeiro post de 2019 tratou da grave ameaça sofrida por Jean Wyllys, obrigado a renunciar ao mandato parlamentar pela ameaças sofridas encabeçadas por uma direita raivosa. Ele se auto exilou na Europa, privando nosso parlamento de sua combatividade política e defesa expressa dos pobres, pretos e LGBTs.

Entre este episódio e a presente data, às vésperas de se celebrar a virada do ano, apenas se confirma que Jean estava certo. O Brasil, definitivamente, não é mais um lugar seguro para quem defende uma agenda de direitos humanos, uma agenda ambientalista ou mesmo uma agenda cultural da multi-diversidade.

Vivemos hoje um contexto de arremedo de democracia. O fascismo definitivamente saiu dos porões da história brasileira para, em plena luz do dia, implementar um programa que junta ideologia de direita, teocracia cristã fundamentalista e ultra-liberalismo econômico. Inclusive, este programa político e econômico junta componentes que se acoplam entre si por pura acomodação, mas que não escondem suas profundas contradições internas. Até quando conseguirão agir juntos sem implodir a gente não sabe, mas o estrago que estão causando exigirá mais de uma geração para serem corrigidos.

Um outro componente preocupante é que, esta articulação chegou ao poder pelo voto. Aliás, não basta dizer que ganhou a eleição por causa das fake news e robôs de whatsapp. Esta aliança encontrou eco no inconsciente coletivo de um povo que foi formado sob a bandeira da exploração, do escravismo e do saque às riquezas nacionais promovidas pela Metrópoles colonizadoras (afinal Portugal sempre foi parte de uma outra periferia controlada pela Inglaterra).

Fomos criados à sombra de uma estrutura de classes claramente hierarquizada, onde os privilégios e as fidalguias mantiveram o povo explorado, morrendo de trabalhar para sustentar o modelo econômico e o status de seus patrões.  Um sistema cauterizado nestes parâmetros resistirá a qualquer esforço de inversão de vetor decisório. Ao longo da nossa história, todos os esforços de grupos políticos para reduzir desigualdades encontraram a resistência das elites que sempre usaram o braço militar para garantir seus privilégios. O agravante agora é que o golpe tem cara parlamentar e judiciária!

Este ano passará à história como o ano das maldades. Reforma Previdenciária, precarização do trabalho, misoginia, lawfare contra a esquerda, liberação de veneno para o agronegócio ampliar lucros, rachadinhas a todo vapor, queimadas estimuladas pelo agronegócio, aumento do gás, aumento da carne, aumento de combustível,....ufa! melhor parar por aqui porque a lista é imensa!

Mas como se não bastasse tanta desgraça, vem o terrorismo fundamentalista cristão: atentado contra uma produtora cultural pelo fato de ter retratado um Jesus gay. Agora, mais isso, os delegados de costumes, tipo "fiscais de esfincter anais" até do Mestre dos mestres, se autorizam a usar da violência e a coisa está sendo encarada apenas como dano ao patrimônio e risco à vida de terceiros. Isso só demonstra o quanto as teias do Estado estão sendo corrompidas por uma ideologia que não valoriza sequer a arte.

Por isso, eu digo: Jean, você estava certo! Resta ver quando o povo mesmo vai cair em si e se assumir como força política pra dizer um veemente basta a tudo isso! E essa manifestação de força não acontecerá se este mesmo povo ficar diante da TV e consumir a narrativa construída para entorpecê-lo! Esse entorpecimento leva o povo a esquecer de pedir resolução para o assassinato de Marielle, dos pretos que morrem nas favelas, do Queiroz e suas milícias, ....acho que não preciso dizer mais nada!

Que 2020 seja um ano de maior eficácia na resistência e que as desconexões entre as forças que estão no poder comecem a se desestruturar. Mas o povo será fundamental neste processo: chega de inação!! Vamos voltar à trilha civilizatória ou então nos preparemos para uma barbárie sem volta!!



Nenhum comentário:

Preconceito mata! É hora de incluir!

Tenho acompanhado o debate acerca do projeto de lei 9091/2020, em discussão na Câmara Municipal de Santa Maria, que trata de uma política af...