Mensagem do Bispo Primaz pelo Dia das Mães



Agora, minha filha, não tenha medo; farei por você tudo o que me pedir. Todos os meus concidadãos sabem que você é mulher virtuosa. 
Rute 3:11

As mães recebem de Deus uma enorme responsabilidade humana e espiritual. Através da história, a maternidade foi construida socialmente de diversas maneiras. Não faltaram poetas, artistas, teólogos e cantores que as retrataram com as cores mais belas da admiração, do afeto e de uma quase "canonização". Enquanto isso acontecia na literatura e na arte, a realidade apontava para um papel social secundário, vazio de direitos e cheio de silencio!

Mesmo quando a religião cristã manifesta nos Evangelhos, na pessoa e exemplo de Jesus representou quebras de paradigmas, a sociedade continuou a tratar a mulher/mãe como secundária, sempre restrita ao papel de procriação. Mais ou menos como se produz ainda hoje em relação ao famoso refrão recentemente explorado em memes das redes sociais: bela, recatada e do lar.

Vivemos novos tempos e muitas coisas mudaram nos costumes, na ética, na ciência e em todas as instancias da sociedade. Graças a Deus que na Igreja também houve mudanças e neste caminho devemos seguir ouvindo o clamor do Espírito, onde nossas mães/mulheres ocupam mais espaços de protagonismo. Ainda faltam mudanças, mas o Espírito certamente nos conduzirá até elas. 

Que nossas mães assumam a coragem de uma Miriam, profetiza do Velho Testamento. A serenidade de Maria que disse sim ao maior desafio já colocado nas mãos de uma jovem adolescente. Que tenham a firmeza de uma Madalena, discípula, que testemunhou a ressurreição do Senhor, mesmo quando duvidaram dela. Que assumam a resiliência de uma Maria da Penha  que se insurgiu corajosamente contra o ciclo interminável de violência física e psicológica de nossa sociedade machista. 

A ternura não é um comportamento passivo, que povoa as mentes de românticos poetas. Que nossas mães sejam ternas sim, mas que sejam firmes quando e quanto for necessário. Que a justiça e a paz sejam sempre os seus distintivos.

Que Deus abençoe nossas mães que estão conosco, na labuta do cotidiano. Que Deus esteja conferindo as glórias da eternidade àquelas que já cruzaram os umbrais da vida eterna. E que Deus prepare as novas e futuras mamães para cumprir este exclusivo privilégio que só a elas é reservado. 

Feliz Dia das Mães, que é todo dia e é para toda a vida!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Visita do Papa ao CMI: gesto de comunhão e cumplicidade para testemunhar unidade

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia