Pular para o conteúdo principal

Precisamos de juízes sábios e não de néscios detratores


Os lábios do tolo entram na contenda, e a sua boca brada por açoites. Provérbios 18:6

Em consonância com o que já foi expresso reiteradamente pela Câmara dos Bispo de nossa Igreja à luz da conjuntura política e os recentes episódios do processo de julgamento levado a efeito no último domingo pela Câmara dos Deputados, gostaria de fazer algumas considerações:

1. A sessão que decidiu por ampla maioria da Câmara dos Deputados a continuidade do processo de impedimento da Presidenta da República revelou o estado deprimente da limitação dos senhores deputados e deputadas em perceber os aspectos técnicos da peça de acusação e os levou a uma manifestação de votos baseada única e exclusivamente em uma vingança política contra a Presidenta.
 
2. Os argumentos de caráter religioso, ideologicamente preconceituoso e preocupantes em relação às apologias feitas em plenário traduzem apenas o nível despolitizado e até mesmo reacionário em relação às conquistas que a sociedade brasileira tem conseguido ao longo de anos.

3. A manipulação de valores tradicionais como Deus, família, nação e moral revelou que temos o recrudescimento do fundamentalismo religioso e moral que interessa somente àqueles que defendem posturas totalitárias, cínicas e profundamente desrespeitosas contra o povo brasileiro que aprendeu a valorizar a dignidade humana e os direitos e garantias sociais.

4. O discurso vago e palanqueiro contra a corrupção sem definição clara de objeto, responsabilidades e atores mostra uma imaturidade que beira ao ridículo, pois os mesmos que faziam suas catlinárias nada convincentes são eles próprios citados, indiciados e réus por crimes de corrupção.

A sociedade brasileira é chamada a julgar estes arautos por sua hipocrisia e espalhafato midiático. 

O processo de impedimento da Presidenta segue para o Senado e cabe à sociedade brasileira pressionar aquela Casa a resgatar a dignidade da Instituição Legislativa. Que seja restaurada a garantia de ampla defesa, a definição técnico-jurídica da substância acusatória, o restabelecimento da seriedade no processo e o compromisso com o Estado Democrático de Direito. É hora de se voltar ao trilho do respeito à Constituição.

A sociedade brasileira precisa afirmar que não precisa de procuração para fazer valer as conquistas que ela entende como necessárias para o avanço da democracia em nosso país! Não precisamos de espalhafatos midiáticos, nem de palanques do ódio, do preconceito, do autoritarismo e da hipocrisia. Precisamos de serenidade cidadã. Precisamos da seriedade no trato da coisa pública. Precisamos de juízes sábios e não de néscios detratores. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Após a vivência da comunhão e do aconchego confortador da família de Marta e Maria em Betânea, Jesus sai para a sua jornada final que o levará à morte. Lendo nesta perspectiva, o movimento de Betânea para Jerusalém é um esquema que de certa forma nos lembra o movimento da Igreja: quando nos reunimos como povo de Deus, vivemos o consolo de sua Palavra e de seu Sacramento e saímos para a missão. Jesus e seus discípulos fizeram isso repetidas vezes nestes dias. Agora a missão terá seu cumprimento definitivo e Jesus está preparado para ela.

O dia começa com a preparação da ceia pascal. A preparação do cenáculo exige cuidado, carinho e está carregada de muita emoção. Ali, no ambiente de celebrar a memória da libertação do povo de Deus, assistiremos uma conversa e um gestual que marcarão a comunidade dos discípulos e discípulas para sempre.

O dia de hoje nos exigirá expor algumas representações diferentes. Ao longo do dia, estaremos meditando, em momentos diferentes as distintas cenas que r…

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia

Tenho tido uma rica experiencia pessoal nos anos recentes quando celebramos a Semana Santa. Através da minha página do Facebook, desde a Quinta-feira Santa, costumo publicar imagens de pinturas sacras que nos evocam a meditação sobre os eventos que marcam a última semana do ministério de Jesus entre nós.
Para este ano, convido as pessoas amigas a fazer um caminho de oração e reflexão dos eventos desta semana através da arte sacra: pinturas, ícones e desenhos que nos prendam a atenção verdadeiramente orante.
Espero com isso contribuir que cada pessoa viva esta experiencia e, se possível,  interaja com outras compartilhando como se sentiu e criando assim um círculo de admiração da arte e da devoção.  A experiencia de reunir texto bíblico, oração e arte é algo que tem um resultado muito bom. Para mim tem sido assim e vou compartilhar nesta Semana Santa com todos vocês!

Com estamos em véspera do Domingo de Ramos, vamos iniciar a experiencia hoje mesmo com a unção de Jesus por Maria, irmã …

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Segunda-feira Santa

Na cronologia dos relatos da última semana de Jesus temos, após a entrada em Jerusalém, sua atenta observação a tudo que acontecia em torno do Templo. Certamente muita agitação em torno das peregrinações para a celebração da Páscoa no centro nervoso da religião. Ele retorna com seus discípulos para Betânea e, no dia seguinte, retorna a Jerusalém. Dois episódios são relatados: A maldição da figueira e a expulsão dos mercadores do Templo. No primeiro, Jesus possivelmente apontava para o descontentamento com um sistema religioso que estava estéril e que enganava a muitos por uma aparente folhagem. No segundo, Jesus revela a sua indignação contra a mercantilização da religião, desenvolvida com a completa omissão de quem devia zelar por ela.



Pintura de Ganesh Shegoy

Giandomenico Tiepolo (c. 1750)


"E, vendo de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se nela acharia alguma coisa; e, chegando a ela, não achou senão folhas, porque não era tempo de figos.
E Jesus, falando, disse à figue…