Pular para o conteúdo principal

MENSAGEM DE ANO NOVO DO PRIMAZ

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares. Josué 1:9



Irmãos e irmãs,


Paz seja com vocês!

O Senhor coloca à nossa frente mais um ano novo para continuarmos a fazer a história que Ele espera que façamos. Estamos vivendo tempos de enormes desafios - que sempre existiram diante de nós - mas que na atual conjuntura exige que tenhamos motivação redobrada. Nosso país precisa trilhar um caminho de ajustes que vão além das dificuldades econômicas que exigirão disciplina e seriedade governamental no seu enfrentamento. 

A crise política precisa dar lugar a uma democracia forte em que os interesses do povo brasileiro sejam colocados acima de quaisquer outros interesses eleitorais. A crise ética de gestão da coisa pública precisa dar lugar à transparência e ao cumprimento estrito da lei. O povo brasileiro precisa retomar o controle social das instituições que o representam. A era de privilégios deve dar lugar à justiça afirmativa, voltada para o bem comum de todas as pessoas cidadãs. 

Como Igreja, devemos assumir a nossa responsabilidade de viver a nossa fé dentro e fora de nossos templos. Para dentro, devemos aperfeiçoar os nossos instrumentos de evangelização, de anuncio da Boa Nova de Jesus Cristo. Alimentar com substância teológica e pastoral o nosso povo. Fortalecer e afirmar o testemunho de nossos jovens. Garantir o protagonismo das mulheres. Ampliar a consciência de nossa responsabilidade social e política. Orar e agir, sempre impelidos pelo amor e pelo compromisso com a verdade. Tornarmo-nos críticos diante das propostas aventureiras (religiosas ou políticas) que tentam capturar a consciência de nosso povo. 

Não podemos aceitar discursos e práticas que lesem os direitos de nossa gente mais pobre. Por ser um ano de eleições municipais, devemos nos preparar para rechaçar discursos eleitoreiros de quem não está seriamente capacitado a defender os interesses da sociedade brasileira.

Nossa diaconia deve ser ampliada com qualificação de nossos quadros. Corajosamente vamos estudar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e descobrir nossa potencialidade de assumirmos o compromisso da transformação da qualidade de vida de nossa sociedade.

Teremos um Sínodo Extraordinário que vai oferecer à Igreja uma Constituição e Cânones que nos tornem mais efetivos na vida e comunhão entre nós mesmos e nas nossas relações ecumênicas e sociais. A Câmara dos Bispos está desafiada a cumprir o seu papel de liderança pastoral em espirito de unidade e compromisso com o nosso rebanho. O Conselho Executivo é chamado a conduzir administrativamente a Igreja dentro dos princípios que nos distinguam efetivamente como uma Igreja que serve. Cada clérig@ é desafiado a testemunhar e orientar os fiéis sob sua liderança com fundamento na herança dos apóstolos a apóstolas de Jesus. 

Precisamos experimentar uma vida de estudo e oração, sem as quais podemos correr o risco de apenas “tocar mais um  ano pra frente”. Que Deus derrame sobre a IEAB os dons do Espírito, fazendo-nos humildes servos uns dos outros e de nossa sociedade brasileira. Que Ele nos dê a paciência para nos manter firmes no caminho de Jesus. Um abençoado 2016 para nossa Igreja e nos ajude a construir uma Igreja corajosa, evangelizadora e amorosa, a começar por nós mesmos!


Do vosso Primaz,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…

Message from Primate of Brazil about Primate`s Decision on the recent meeting in Canterbury

Brothers and sisters,
As I expressed earlier, I did not want to communicate anything prior to the end of the meeting regarding the heat of the debates that followed the discussion taken by the majority of Primates in relation to the Episcopal Church of the United States (TEC). In other words, the temporary suspension for three years from all decision-making entities of the Communion, rooted in [TEC]’s decisions with respect to the Matrimonial Canon.

Today I arrived in Brazil and would like to share a pastoral word with the Church regarding this matter. This issue took up a disproportionate amount of time from the meeting and was very difficult for all of the Primates. The most extreme position of the GAFCON primates was to demand an apology or require the withdrawal from the Communion of both TEC and the Church of Canada. This position caused a reaction that brought the Primates into the center of the debate, and the more progressive members sought alternatives that might have caused a …