MENSAGEM DE ADVENTO DO BISPO PRIMAZ






Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus.
Salmos 42:1


Estamos vivendo a estação do Advento em meio ao caos, especialmente em nosso país diante da mais grave crise social e política desde o processo de redemocratização. Nesta crise percebemos tensões cada vez maiores, vemos pessoas com o único objetivo de poder pelo poder, atropelando regras do Estado de Direito apenas para o alcance de seus projetos pessoais mesmo que inteiramente cobertos de lama moral.

Há poucos dias, cinco jovens negros foram executados friamente no Rio de Janeiro revelando a crueldade do racismo institucionalizado que condena inapelavelmente as pessoas pela sua cor dentro de uma lógica nefasta completamente contrária aos valores do Evangelho. 

O desastre ecológico em Minas Gerais completou um mês. Nele, constatamos que a vida não é preocupação daqueles que só encaram o lucro com fim último, cegos e insensíveis à dignidade das pessoas. O afã do lucro vai destruindo a vida e o ambiente no rastro da contaminação de resíduos minerais. 

Normalmente quando nos defrontamos com a dura realidade que nos desafia na vivência de  nossa fé costumamos nos sentir enfraquecidos por tantos sinais de destruição dos nossos sonhos de uma sociedade que expresse os valores do Reino de Deus. Elevamos os olhos e perguntamos: até quando Senhor?

Mas Deus nos assegura que não estamos sozinhos e que nossa luta não é inglória.  Que Ele nos conceda a firmeza necessária para continuar a sonhar com a Parousia e nos fazermos anunciadores do seu Reino. Enquanto houver no mundo pessoas comprometidas com os valores da verdade, da justiça, da solidariedade e com um outro mundo possível, teremos razão para acreditar e seguir em frente!

Cada vez mais somos desafiados a erguer as nossas preces a Deus, a estar perto d`Ele, a pedir por misericórdia pela nossa sociedade tão alienada do seu projeto de vida. O Advento é tempo de lembrar que o Reino de Deus está às portas e que somos seus arautos. Não podemos nos abater. E mesmo que os sinais contemporâneos apontem o contrário, devemos permanecer firmes, leais e vigilantes. 

Deixemos o amor de Deus arder em nosso coração! E ansiar, como a corça, por águas que refresquem nossa vida e reguem os nossos sonhos!

++Francisco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Visita do Papa ao CMI: gesto de comunhão e cumplicidade para testemunhar unidade

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia