Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

Senador Demóstenes: capturado pela própria sombra!

Se Carl Jung fosse vivo, certamente estaria se deleitando com mais uma evidência de seus estudos psicanalíticos. Explico: suas formulações sobre luz e sombra na construção das personalidades demonstram como certas pessoas que não experimentam um adequado processo de auto-consciência podem ser destruidas pela sua própria sombra. O senador Demóstenes Torres é um desses personagens que sucumbiu à sua própria sombra. Considerado um dos mais vibrantes oradores contra a corrupção no Senado, catando agulhas no palheiro - em defesa da moralidade pública - e criminalizando movimentos sociais, Demóstenes alçou o posto de representante máximo da direita moralista (aqui distinguo moralista de moral) sempre sob flashes da mídia para aqual exibia sempre um rosto incompassivo e incorruptível. Coitado do senador. A sombra se revoltou contra ele e resolveu destruí-lo: foi pego com a mão na botija, comprometido com um conhecido meliante do mundo do jogo, da violência e da corrupção. Voltando a …

Até quando rirão de nossa cara?

É impressionante como a sociedade brasileira está precisando de um choque de realidade diante da avassaladora institucionalização da corrupção. Me recordo que quando fiz parte do Conselho de Transparência e combate à Corrupção, ligado à CGU - Controladoria Geral da União - ali representava a ABONG (Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais) - um dos pontos mais cruciais de nosso trabalho era a elaboração de políticas que buscassem reduzir ao máximo desejável os desvios de recursos públicos. À época, ficávamos impressionados com o número de casos de prestações de contas suspeitas de prefeituras e de estados no manejo dos recursos oriundos de repasses federais. O trabalho da CGU em muito tem contribuído para expor as fragilidades de controles racionais e a prova disso é que o número de casos denunciados aos órgãos judiciais aumentou sensivelmente na última década. Evidente que falta a outra ponta do processo, exatamente aquela que responsabiliza e pune efetivamente os…

Entre a Falácia e a Eficácia

Esta semana temos assitido ao que eu chamo de um conflito discursivo falacioso. Os contendores são o governo brasileiro e a FIFA. O motivo da contenda é a Copa de 2014 que cada vez mais vai ocupando o espaço e a agenda do país. E podem estar certos que esta agenda vai ocupar mais e mais a agenda do Brasil, inclusive com o risco de que outras agendas sejam relegadas a um plano inferior. É muito importante ressaltar que adoro futebol e que Copa do Mundo sempre mereceu a minha atenção. Afinal como Botafoguense e Colorado, visto as camisas e torço como um torcedor qualquer! No entanto, a despeito dessa paixão pelo esporte mais popular do Brasil, distinguo alhos e bugalhos. A Copa do Mundo é um evento público, que envolve bilhões e bilhões de reais e mexe com o DNA da política. O que realmente mobiliza esse confronto discursivo? De um lado um Secretário Geral da FIFA, uma pessoa pouco educada e com um sentimento dominado por visões colonialistas, achando que pode dizer e acontecer com o…