O que podemos fazer para um 2012 melhor?

Por estes dias, entre as tantas mensagens que trocamos através das redes sociais, li uma mensagem de uma amiga que me chamou a atenção e logo tratei de usar o recurso do compartilhamento. Sintetizando, a mensagem dizia que ao invés de pedirmos que o ano novo viesse cheio de coisas boas pra nós que pudéssemos ser pessoas melhores no ano novo. Um bom principio pra se refletir, pois normalmente a nossa atitude é esperar que o tempo nos traga tudo que desejamos, como se fossemos tão especiais e o tempo e a natureza conspirasse sempre a nosso favor. A conspiração até existe mas é de mão dupla!
Vivemos ligados a uma cadeia de eventos que nem sempre controlamos e com a qual precisamos interagir para mudar alguns direcionamentos.
Vamos tomar um exemplo para mostrar o quanto é importante mudar algumas atitudes. Geralmente desejamos que o Ano Novo nos traga Paz - talvez o mais atávico desejo da espécie humana - mas não deixamos de ser pessoas eternamente beligerantes. Normalmente esperamos que as pessoas se tornem gentis, pacíficas, generosas e tudo aquilo que nosso inconsciente projeta e define como padrão ideal. Mas nossas atitudes não mudam. Assim fica difícil pro tal do Ano Novo nos trazer Paz!
O Ano Novo começa em nós e através de nós. Ainda temos algumas horas para refletirmos sobre aquilo que queremos mudar para 2012. Sobre o diferencial que queremos fazer pro ano que está chegando. Que valores importantes vamos cultivar na nossa relação com Deus, com nossos semelhantes e com a Criação?
Precisamos mais do que nunca compreender o senso dessa interdependência. Todas as atitudes que alguém toma em determinado contexto tem consequências que não somos capazes de avaliar. Cada gesto de amor que uma pessoa pratica causa um efeito que foge do seu controle e gera uma onda que pode alcançar alguém que sequer conhecemos. Assim também, cada gesto de beligerância também gerará uma cadeia de reações que pode atingir outras pessoas e a Criação.
E não precisamos, neste contexto de Ano Novo, nos impor grandes desafios para mudar o Mundo! Pequenas coisas que conseguirmos mudar já serão muito importantes. Vamos ter atitudes de cuidado e carinho, por exemplo, com nossa cidade e nossa gente. Parar na faixa de pedestres, dar a preferência no trânsito, não jogar lixo na rua, respeitar fila, ouvir mais e falar menos, sorrir mais para as pessoas, cumprimentar desconhecidos, olhar as pessoas em seus olhos, coisas pequenas assim podem ter um efeito extraordinário.
Evidente que alguns leitores podem até pensar que o bispo está requentando manuais de auto-ajuda...e dizendo coisas que são muito corriqueiras. Talvez esperassem uma análise de conjuntura prospectiva com indicações pastorais, etc. Não. Estou convencido de que são as pequenas coisas que nos podem fazer mudar conjunturas. Gestos de amor - ainda que pequenos - são muito poderosos! Eu sempre me lembro de como Jesus qualificou a oferta da pobre viúva citada na parábola: ela deu apenas moedinhas, mas valeu muito mais do que a oferta de todos os outros.
Desejo a todos os santamarienses um Ano Novo que comece dentro de seus corações de uma forma muito especial. Afinal, nossa cidade é chamada de coração do Rio Grande! Como um novo cidadão desta querida comunidade, desejo que este coração pulse bem forte com a energia do amor. Vamos cada um adotar uma nova postura - que pode ser pequenita - mas que pode transformar para melhor a vida de nossa cidade em 2012. Ai, sim, a tal da conspiração vai funcionar!

How to be a gift from God this Christmas?

First, seeing the world through the eyes of God and finding in it the beauty of Creation. From this look, we will be ready to avoid that the profit and selfishness lead the world to be destroyed.
second, loving the world with God's heart, preventing people disregard their neighbors and to cultivate a culture of exclusion and poverty.
third, caring each other with kindness, preventing that people ignore the needs of others, violating rights and cultivating a culture in which the strong and powerful will always have primacy
finally, living the humility of the divine child, who assumed our humanity avoiding ourselves consider more than we are at the center of our being.
So, with pure eyes, heart, love, kindness and humility we will ready to build a new society where everyone can live the fullness of life.
To buid another possible world is at hand. It depends only from our ability to learn what God tells us through Christmas!

Um Feliz Natal!




Queridos irmãos e queridas irmãs!



Neste Natal experimente ir um pouco na direção contrária da massa... Da agitação das compras e do consumismo pare para contemplar o céu: lá está a estrela que nos convida a um novo caminho.

Neste Natal, ao invés de querer dar presentes, quem sabe não seja a hora de ser um presente.

Desejo a todo o povo de Deus, nesta querida diocese, em cada comunidade local, em nossa Provincia e no meio de todos os nossos irmãos e irmãs de caminhada ecumênica um Feliz Natal. E lembrando os áureos tempos dos gibis ( lembram? ) recebam esta singela mensagem anexa!

Dom Francisco de Assis da Silva

Mensagem de Advento

Ao clero e povo da Diocese Sul Ocidental



Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
2 Tim 1:7



Irmãos e Irmãs!



Vivemos um recomeço do ciclo nos convida a buscar com humildade o que Deus espera que façamos por palavras, atos e pensamentos. Toda a Criação se renova e ansiosamente deseja a plena comunhão com Aquele que é a razão e o fundamento de todas as coisas visíveis e invisíveis.

E que sentimentos povoam nossos corações neste Advento? Certamente o primeiro deles é o de gratidão. A graça de Deus não nos abandonou em nenhum momento neste ano que vai terminar. Mesmo em meio a tantos desafios que cada um de nós enfrentou, Deus jamais nos abandona.

Nossa diocese tem diante de si um caminho aberto para se fortalecer e cumprir com sua missão. Mas para que isso aconteça precisamos reconhecer que nem sempre temos sido fiéis ao chamado de Deus de nos entregarmos inteiramente à sua vontade. Temos falhado na qualidade do serviço e temos nos contentado em fazer apenas aquilo que podemos fazer. Só que nosso Deus não se cansa de fazer muito mais do que merecemos ou almejamos. E, a exemplo da parábola dos talentos, temos agido como aquele servo que guardou o talento porque teve medo.

Os grandes desafios estão à nossa frente. Sustentabilidade, Expansão, Juventude, Formação e Capacitação se encontram entre as prioridades que temos elegido dentro do Plano Pastoral de Ação. Precisamos por o coração nestas coisas. E para além do coração, precisamos colocar nossos dons materiais para garantir que nossa diocese cresça na direta proporção daquilo que precisamos fazer como Igreja.

Que neste Advento possamos construir um claro compromisso com Deus que se manifesta na plenitude e simplicidade de uma criança. Que neste Advento deixemos de nos contentar com a `normalidade` e criemos coragem para avançar na missão.

Que neste Advento deixemos de lado a conformação paralisante que nos faz sempre dizer que as coisas são assim mesmo. Que nossa Igreja não tem jovens. Que nossa Igreja é pobre e não tem recursos. Que nossa Igreja só pode fazer mais se tiver projetos apoiados por recursos que vem de fora (vejam a crise que afeta a Europa e Estados Unidos). Em suma, cada vez que este tipo de discurso ocupa as nossas mentes, afirmamos para nós mesmos que nada é possível fazer. E ai o nosso Senhor nos dirá a terrível palavra que disse ao servo medroso!

Desafio nossos queridos irmãos e irmãs a darem o salto de fé e de obediência - relembrem nossa Carta Pastoral ao Concílio - e ajam como Maria: Lucas 1:38: “Aqui está a serva do Senhor; faça-se comigo conforme a tua palavra”.

Bispo, clero e laicato está em nossas mãos deixar que o Advento nos prepare para um ano de muita fé e esperança e muito trabalho. Agrademos ao Senhor e louvemos o seu nome por seu imenso amor para conosco. Mas que seja um louvor verdadeiramente encarnado, de palavra e ação!

Santa Maria, 01 de dezembro de 2011

+Francisco, Santa Maria