Pular para o conteúdo principal

O que podemos fazer para um 2012 melhor?

Por estes dias, entre as tantas mensagens que trocamos através das redes sociais, li uma mensagem de uma amiga que me chamou a atenção e logo tratei de usar o recurso do compartilhamento. Sintetizando, a mensagem dizia que ao invés de pedirmos que o ano novo viesse cheio de coisas boas pra nós que pudéssemos ser pessoas melhores no ano novo. Um bom principio pra se refletir, pois normalmente a nossa atitude é esperar que o tempo nos traga tudo que desejamos, como se fossemos tão especiais e o tempo e a natureza conspirasse sempre a nosso favor. A conspiração até existe mas é de mão dupla!
Vivemos ligados a uma cadeia de eventos que nem sempre controlamos e com a qual precisamos interagir para mudar alguns direcionamentos.
Vamos tomar um exemplo para mostrar o quanto é importante mudar algumas atitudes. Geralmente desejamos que o Ano Novo nos traga Paz - talvez o mais atávico desejo da espécie humana - mas não deixamos de ser pessoas eternamente beligerantes. Normalmente esperamos que as pessoas se tornem gentis, pacíficas, generosas e tudo aquilo que nosso inconsciente projeta e define como padrão ideal. Mas nossas atitudes não mudam. Assim fica difícil pro tal do Ano Novo nos trazer Paz!
O Ano Novo começa em nós e através de nós. Ainda temos algumas horas para refletirmos sobre aquilo que queremos mudar para 2012. Sobre o diferencial que queremos fazer pro ano que está chegando. Que valores importantes vamos cultivar na nossa relação com Deus, com nossos semelhantes e com a Criação?
Precisamos mais do que nunca compreender o senso dessa interdependência. Todas as atitudes que alguém toma em determinado contexto tem consequências que não somos capazes de avaliar. Cada gesto de amor que uma pessoa pratica causa um efeito que foge do seu controle e gera uma onda que pode alcançar alguém que sequer conhecemos. Assim também, cada gesto de beligerância também gerará uma cadeia de reações que pode atingir outras pessoas e a Criação.
E não precisamos, neste contexto de Ano Novo, nos impor grandes desafios para mudar o Mundo! Pequenas coisas que conseguirmos mudar já serão muito importantes. Vamos ter atitudes de cuidado e carinho, por exemplo, com nossa cidade e nossa gente. Parar na faixa de pedestres, dar a preferência no trânsito, não jogar lixo na rua, respeitar fila, ouvir mais e falar menos, sorrir mais para as pessoas, cumprimentar desconhecidos, olhar as pessoas em seus olhos, coisas pequenas assim podem ter um efeito extraordinário.
Evidente que alguns leitores podem até pensar que o bispo está requentando manuais de auto-ajuda...e dizendo coisas que são muito corriqueiras. Talvez esperassem uma análise de conjuntura prospectiva com indicações pastorais, etc. Não. Estou convencido de que são as pequenas coisas que nos podem fazer mudar conjunturas. Gestos de amor - ainda que pequenos - são muito poderosos! Eu sempre me lembro de como Jesus qualificou a oferta da pobre viúva citada na parábola: ela deu apenas moedinhas, mas valeu muito mais do que a oferta de todos os outros.
Desejo a todos os santamarienses um Ano Novo que comece dentro de seus corações de uma forma muito especial. Afinal, nossa cidade é chamada de coração do Rio Grande! Como um novo cidadão desta querida comunidade, desejo que este coração pulse bem forte com a energia do amor. Vamos cada um adotar uma nova postura - que pode ser pequenita - mas que pode transformar para melhor a vida de nossa cidade em 2012. Ai, sim, a tal da conspiração vai funcionar!

Comentários

Francisco Paulo disse…
O texto é bem interessante, Bispo Francisco, e levanta uma questão que embora seja comum, não encontra tempo e espaço de reflexão. Na verdade não são poucas as pessoas que clamam por generosidade, solidariedade, amor justiça por perte do outro, mas pouca coisa fazem por si mesmas.

Rev. Francisco Paulo - OST
Caro Bispo, bom texto! realmente, (não há Paz sem Justiça! Não há Justiça sem Cidadania! e não há Cidadania sem consciência cidadã ! Que a Igreja que pastoreias possa ser formadora dessa consciência, decorrência da conversão a Jesus Cristo, nosso Senhor! Bom ano para ti, tua família e tua Igreja!
Abração!

Postagens mais visitadas deste blog

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…

Message from Primate of Brazil about Primate`s Decision on the recent meeting in Canterbury

Brothers and sisters,
As I expressed earlier, I did not want to communicate anything prior to the end of the meeting regarding the heat of the debates that followed the discussion taken by the majority of Primates in relation to the Episcopal Church of the United States (TEC). In other words, the temporary suspension for three years from all decision-making entities of the Communion, rooted in [TEC]’s decisions with respect to the Matrimonial Canon.

Today I arrived in Brazil and would like to share a pastoral word with the Church regarding this matter. This issue took up a disproportionate amount of time from the meeting and was very difficult for all of the Primates. The most extreme position of the GAFCON primates was to demand an apology or require the withdrawal from the Communion of both TEC and the Church of Canada. This position caused a reaction that brought the Primates into the center of the debate, and the more progressive members sought alternatives that might have caused a …