Tributo a Steve Jobs





Steve Jobs concluiu sua jornada na História e certamente deixa marcas que são inesquecíveis não somente para seus fãs dos tantos "Is" que criou, mas para todos nós.

Ousadia -  uma das marcas do grande inventor foi sua capacidade de ousar.  A criatividade era seu estilo e não tinha limites e para alcançar a perfeição.  Conta-se que tinha o costume de exigir dos seus funcionários dedicação absoluta à marca e para tal, quando havia um lançamento de um novo produto, cuidava pessoalmente de garantir absoluto sigilo ainda que fosse necessário impedir o contato de sua equipe com o mundo exterior à empresa. Era capaz de deixar os fãs de sua marca com a respiração suspensa até o lançamento de suas invenções. 

Inovação - Não se pode esquecer que Jobs foi um diferencial dentro da história da tecnologia. Detestava copiar o lugar comum. Dotado de grande visão, imaginava em como seus produtos podiam trazer satisfação ao seus consumidores. Conforto e eficiência estavam no centro de suas preocupações. Apesar de trabalhar com tecnologia e com aparelhos, a dimensão do prazer era componente obrigatório das suas invenções.  Mal lançava um produto e já começava a pensar em como superá-lo, numa inquietude sem limites.

Estética -  Normalmente se busca conciliar estética e tecnologia. Esse é um esforço que os inventores sempre fazem e Jobs tinha esse dom especial de conseguir fazer com que máquinas despertassem satisfação estética.  Os clientes da Apple expressavam este orgulho estético na relação com a marca e acabavam contagiando outras pessoas pelo seu encanto. A relação entre clientes e produtos fazia adultos se sentirem crianças, manipulando suas engenhocas e se deliciando com as funcionalidades.

Para além de qualquer coisa, não se trata aqui de atribuir a Steve Jobs um selo de semi-divindade.  Até mesmo porque sua consciência espiritual - regada pelos princípios budistas que assumiu com intensidade - sempre o fazia viver e falar como alguém que não tinha pretensão de eternidade e nem buscava exprimir materialmente o glamour de uma celebridade com exageros consumistas - o que acontece commumente com celebridades. Trata-se de honrar uma pessoa que fez a diferença na vida das pessoas  do mundo inteiro. 

E digo com toda tranquilidade que o mundo seria bem melhor se em todos os campos do conhecimento - inclusive no religioso -  houvessem mais pessoas assim, capazes de viver a sua vida com tamanha intensidade.  Precisamos de mais pessoas ousadas, inovadoras e que sejam capazes de agregar a beleza nas coisas que fazem. Na Política, na Economia, na Religião e em qualquer lugar do imenso campo de possibilidades do pensamento e da ação humanas, precisamos de gente que seja capaz de unir avanço tecnológico, beleza e satisfação. 
Obrigado Steve Jobs por seu exemplo.  Descanse em Paz!

Comentários

Lilian Lira disse…
Paz e bem, Dom Xico!

Concordo consigo plenamente, Dom.

Sendo da geração dos anos 70, pude acompanhar as invenções e os avanços tecnológicos dos quais Jobs foi um dos principais protagonistas. Inesquecível!

Alegra-me muito que um Bispo da Igreja faça uso das TIC's para singelamente homenagear alguém cujo testemunho deixa marcas indeléveis para a humanidade.

Cheiros fraternos e obrigada!

Lilian Lira

Postagens mais visitadas deste blog

Visita do Papa ao CMI: gesto de comunhão e cumplicidade para testemunhar unidade

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia