Pular para o conteúdo principal

Honduras: a civil war on the way?

The recent political crisis in Honduras has increased to a dangerous level and could cause a irreversible civil war. Affected for years of power of economical oligarchies that never managed to implement changes in the social pyramid of one of the most poor countries of the continent, Honduras assists the tentative of its elites to legitimize interests with a violent coup d'etat.

 

Despite an unanimous condemnation of the coup from the international society the usurpers are not considering any alternative to negotiate  the returning of deposed Manuel Zelaya, the legitimately elected President.

 

 Isolated and supported only by lying arguments and untenable justifications the President de facto try to remain in the power at the expense of violations of the human rights, imposing suspention of constitutional rights and repressing with violence the popular demonstrations.

 

The brazilian governement now is at the center of the crisis because the deposed President is refuged inside the Brazil's Embassy since last monday. According international law, Brazil is acting in right way beacause is offering refuge for Zelaya.

 

The life of the deposed Presdident is under risk and he has the right to ask for safeguard of his life on account of the political situation  of his country. The despair of the usurpers is the fact that now Zelaya is inside the territory of Honduras, contradicting so all the efforts of maintaining him out of the country.

 

The  Brazilian politics related to international affairs has a tradition of not interference in the internal life of foreign nations but what is taking place in Honduras is a clear violation of the international laws. It is a break of a constitutional order by  violence and a political and military intimidation against its diplomatic representation.

 

The most recent challenge launched by the usurpers against the Brazilian government is the ultimatum  to resolve the political situation of the deposed President Zelaya. The Brazilian Embassy has ten days to decide the status of Zelaya. If not, the usurpers will take measures to result the situation.

 

The nature  of this  declaration  constitutes a serious threat and must be assumed in all his consequences. The UN's Council of Security  manifested itself already on the inviolability of the Brazilian embassy and this threat is only one more sign of what the government de facto is falling in despair.

 

The President Lula issued a statement saying that do not accept threats from an ilegitimate government and if some illegal action is taken against the Embassy, Honduras is violating all international laws. If the army loyal to the usurpers act against the integrity of the Embassy, this action could be interpreted as a declaration of war.

 

It seems to me that  Michelletti is making  most difficult the situation and wants a confrontation that will not be good at all for the Honduran people. This can lead to an end with a bloody conflict and an uncertain result for both sides: supporters of Zelaya and supporters of usurpers.

 

My prayers for Honduras and for the restoration of the democratic order under the leadership of his legitimate President.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Posted via web from conxico's posterous

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…