Pular para o conteúdo principal

ACC 14: an invitation to continue walk

Many of the delegates present at the ACC's meeting expressed their feeling of hope at the end of the journey in which was spent ten days. Such encounters often creates strong links between people. Cultural and theological diversity always challenges us to understand and value the importance of what things are common between us. While working hard for long time is inevitable feel communion with other people for the simple fact that others are seeking to live their faith in a broader perspective . Even if we are on opposite sides on certain issues, it is possible to establish a bond of affection which is the main mark of a true communion.
An overview of the entire event is possible to say that he successful followed the same spirit of the recent worldwide meeting of the instruments of unity. There are no winners or losers. But there is an effort to seek consensus. The fact that the Covenant has been accepted and submitted for further review on section 4 means a challenge for those seeking to maintain the Communion together. In some moments, such as the resolution on the Middle East, the consensus is result of balance of arguments and a good exercise of dialogue with passion and reason. Sometimes is not sufficient have the right idea. It demands also to be suitable for some specific situation.
A word from the Archbishop could well summarize the importance of this ACC meeting. He himself took some positions that were not supported by the majority of the House. The same was also with those who wanted a more Orthodox Communion. Or with others who wanted to leave Kingston with the feeling of victory.
Or perhaps, others wanted a definitive answer on sexuality and marriage. The great danger of authoritarianism is to want simple answers to complex questions. Therefore, the challenge is to continue. Talk, listen, disagree, pray and thank the difference of others. Not to leave but stay at the table.
Advances in the fields of development and health issues, justice and reconciliation processes were achieved with a high degree of consensus. Our Communion is discovering that we need to show commitment with the world. Any orthodoxy or definite answers could guarantee that we will welcomed by our Almighty God. Being Church is not thinking about herself.
Questions remain. And they have to be faced on the road. All of us are invited to walk and to see around and live for our neighbor.
Our gratitude to Prof. Dr. Joanildo Burity for his collaborative and dedicated work representing our Province.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…