Pular para o conteúdo principal

Martin Luther: Sorry for that!

In the last days I saw a variety of declarations delivered by a group of conservative Primates and theologians within the Anglican Communion. In one of these declarations, the Archbishop Akinola compared the current crisis inside the Communion with the context of Reformation. Adding more color on his statement he invoked the image of Luther to say that the conservative group faces the same challenges and needs to embody the same struggle and values defended by the German reformer.
In my opinion, this comparison is absolutely out of context. And surely for Luther's demerit!
I would like to point at least two reasons for justify as it is unhappy this comparison:
1. Luther fought against obscurantism - One of the main postulates of the Reform was exactly overcome the monopoly of the biblical interpretation by Church chiefs. The Bible was, according to Luther, important element to faith enrichment and the Church laymen owed themselves free access to Scriptures. Each believer has the right to exercise – by the inspiration of the Holy Spirit - the gift to interpret the Scriptures and applies her in the personal life, sharing it in the community of faith. The Bible for people represented the hermeneutical upgrade that the Reformation caused for overcome official exclusive interpretations. This step was so important to eliminate the maintenance of dogmatism, fear, and the unique thought.
2. Luther fought against authoritarianism - The power vector inside church was concentrated on Rome who ruled every matter in spiritual and secular fields. The conception of the divine power in its association with the infallibility were quite untouchable. There was not at least an idea of local Church in which, some autonomy and cultural particularities could respected. The role of the laity was absolutely disregarded. The Reformation contributes to give a more ecclesial perspective for Church, restoring the common priesthood of all believers.
Contradictions
What we see today trough the ecclesiology defended by the conservative wing of the Communion is exactly the postulates for return to the authoritarianism and obscurantism.
The God’s Word is seen as a habits norm, moralist rule and untouchable. No one can apply other hermeneutic criteria. NO dialogue with Science, History or the life of believers. The Word of God does not talk with us, neither with our needs.
The second contradiction is the concentration of power. For result, I already affirmed previously, the matter belongs to centralization of power. Is the effort to impose a conservative hegemony who defines what it is right and what is wrong. Maintenance of dependence is the best way to manipulate consciences. A faith that can have no doubt.
The conservatives wish not an ecclesia (in the NT sense) but a sect, where the chiefs know the truth, detains the secret of the sacred deposit and imposes such mysteries to his followers.
The Anglican tradition has its roots also in the Reformation Movement. Scriptures as Frederic Maurice said, was not the last Word of God, but a start point that asks us, our life, and our reason to find the freedom. The Reformation was a fresh wave that brought to society a new scope of values, restoring the faith as a lived experience starting from inside, from the personal experience.
In this way, the comparison with Luther that some conservatives tried to do is quite offensive to the Luther’s memory. Sorry for that!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desabafo de quem foi rotulado de vândalo pela mídia golpista

Acordei hoje pela manhã e me descobri vândalo!

Eu e 35 milhões de brasileiros que fomos ontem às ruas para protestar contra o desmonte dos direitos dos trabalhadores neste país.
Fizemos tudo de forma pacífica, organizada e corajosa. Aí, a mídia golpista estampa hoje na capa de um dos seus "pasquins" a foto de um vândalo (certamente infiltrado pela direita) depredando um banco talvez (porque não é uma creche, ou escola, ou hospital) e esta é a foto que caracteriza o gigantesco movimento de ontem nas ruas do Brasil.

Lamentável esta postura, que aliás não é de hoje. Não é a mídia que me define quem eu sou! Vândalos são aquelas pessoas que sugam o sangue dos trabalhadores para dá-lo de bandeja para os que se alimentam do sofrimento do povo. Enquanto os brasileiros se entorpecerem com esta mídia nojenta e vendida à publicidade dos exploradores do povo a qualidade do jornalismo brasileiro será vergonhosa.
Não se trata de achar que a mídia tem que ser de esquerda. Mas apenas de que …

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…