Pular para o conteúdo principal

Crescimento sim, mas não a qualquer custo!

O Presidente deve anunciar nesta segunda-feira o esperado Pacote de Aceleração do Crescimento (PAC). Sem dúvida, é uma demonstração da fixação do seu governo com a questão do crescimento que tanto frustrou expectativas tanto do próprio governo como da sociedade.
Mesmo sem ser ainda oficial a proposta, algumas medidas previstas já causam polêmica nos meios sociais e políticos.
O Presidente está certo quando se propõe a oferecer um conjunto lógico de medidas que estimulem o crescimento, evitando assim que o Brasil fique na rabeira dos países em desenvolvimento em termos de percentual de crescimento do PIB.
No entanto, é muito importante não comprometer a outra perna do processo: a sustentabilidade. Tomo o exemplo da proposta de conclusão da estrada Cuiabá-Santarém. Essa rodovia sempre foi tema de enormes desacordos entre técnicos e ambientalistas. Se o objetivo é apenas promover o escoamento da produção agrícola da região, temos ai um problema sério. Ela vai beneficiar apenas ao agronegócio que terá as porteiras da Amazônia mais abertas ainda para a monocultura da soja, desmatando a região e criando ainda mais riscos ambientais para o País. Se sem a rodovia já se percebeu como a monocultura tem invadido aquela área - desmatando enormes áreas de mata nativa, exatamente na transição entre o cerrado e a floresta amazônica - imagine-se com a conclusão e viabilização da rodovia.
Outro ponto discutível na proposta do PAC é a de uso dos recursos do FGTS para investimento econômico, como uma das alavancas para a aceleração do crescimento. O FGTS é um fundo que tem sido usado principalmente para reiversões na área social e correlatas. Da forma como alguns estão entendendo o PAC, recursos do Fundo seriam usados para investimento em infraestrutura, geralmente em projetos associados à iniciativa privada. Ora, que se cuide em não financiar a iniciativa privada com o que chamamos de capital social do FGTS. Isso representaria um desvio de finalidade e até um enorme risco de redução de investimentos sociais, diretamente ligados aos interesses dos trabalhadores.
Precisamos de crecimento sim, mas não à esmo ou a qualquer preço. Sustentabilidade ambiental e social são requisitos dos quais a sociedade brasileira não pode abrir mão.
Vamos ver como o Presidente vai equacionar esses dilemas na sua proposta.

Comentários

Roney disse…
Esta obsessão com o crescimento me preocupa pois não creio que no caso do Brasil crescimento econômico seja sinônimo de desenvolvimento...

Temos um sério problema de subdesenvolvimento e espero realmente ver o acesso à cultura, à escola e à arte priorizados até que possamos dizer que todos tem oportunidade de crescimento no Brasil.

É claro que não estou dizendo que o crescimeto econômico tenha que ser desprezado. Concordo plenamente com tudo que vc disse! :-)

Abraços!
Roberto Almeida disse…
É evidente que o país precisa crescer e se desenvolver. Não podemos passar mais uma década neste pífio crescimento, com indíces enormes de desemprego. Se não crescermos o problema mais grave da sociedade continuará(desemprego). Espero que o PAC não seja apenas um programa fantasioso de "início" de mandato, torço que dê certo e as divergências existentes que sejam sanadas com o tempo. Quanto mais Lula procurar se distanciar de certas alas de seu partido(primitivistas, retrógados), melhor será p/ o país.

Postagens mais visitadas deste blog

Desabafo de quem foi rotulado de vândalo pela mídia golpista

Acordei hoje pela manhã e me descobri vândalo!

Eu e 35 milhões de brasileiros que fomos ontem às ruas para protestar contra o desmonte dos direitos dos trabalhadores neste país.
Fizemos tudo de forma pacífica, organizada e corajosa. Aí, a mídia golpista estampa hoje na capa de um dos seus "pasquins" a foto de um vândalo (certamente infiltrado pela direita) depredando um banco talvez (porque não é uma creche, ou escola, ou hospital) e esta é a foto que caracteriza o gigantesco movimento de ontem nas ruas do Brasil.

Lamentável esta postura, que aliás não é de hoje. Não é a mídia que me define quem eu sou! Vândalos são aquelas pessoas que sugam o sangue dos trabalhadores para dá-lo de bandeja para os que se alimentam do sofrimento do povo. Enquanto os brasileiros se entorpecerem com esta mídia nojenta e vendida à publicidade dos exploradores do povo a qualidade do jornalismo brasileiro será vergonhosa.
Não se trata de achar que a mídia tem que ser de esquerda. Mas apenas de que …

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

O Ano do Pinóquio precisa ir embora logo

Sabe aquela sensação de que você está vivendo um pesadelo? Ou, talvez, assistindo uma tragédia que você torce para que seja concluída o mais rápido possível e você saia do teatro pra respirar  o ar puro lá de fora?
Assim é o Brasil de hoje, às vésperas de um novo ano que não temos a menor idéia de como será. Para o governo ilegítimo que tomou conta do país, sem o consentimento dos eleitores, será um ano de recuperação em que o que moverá a sociedade brasileira será um infalível sentimento: o pensamento positivo!! 
Honestamente! Estão brincando com a inteligência das pessoas!. 
2016 foi o ano das grandes mentiras. Inventaram um crime que não existiu. Destituíram uma Presidenta em nome de Deus e da Família, quando nem uma coisa nem outra deram autorização para tal. Uma das mais deprimentes páginas da história política brasileira que deve servir como exemplo de como não fazer política séria. 
Um a um, os próceres da moralidade foram sendo expostos em suas mentiras. O que poderia represe…