Pular para o conteúdo principal

SUDENE: pra quem?

A refundação da SUDENE com certeza representa um importante passo para a tão sonhada reconfiguração sócio-econômica do País. Criada originalmente pelo senso desenvolvimentista de Celso Furtado, desempenhou importante papel como entidade de fomento para o crescimento da região nordeste até que foi capturada pelas elites coronelistas da região e convertida em balcão de negócios estapafúrdios.
Com todas as críticas que tenho ao Governo FHC, me pareceu que nesse ponto o fechamento da Superintendência foi uma medida adequada. Os escândalos das negociatas entre grandes empresas e as elites políticas do nordeste estavam causando um grande prejuízo ao erário público.
O ressurgimento dela, agora que se inicia o segundo mandato do Governo Lula, pode ser muito oportuno desde que a nova configuração realmente coloque a sociedade civil no controle das prioridades de crédito e fiscalização de suas execuções.
A meu ver, salvo melhor juízo, a SUDENE deve priorizar os investimentos em infra-estrutura. Esse é o grande problema de uma região que tem, do ponto de vista de seu povo e de seu meio-ambiente, um enorme potencial de crescimento sustentável.Investir em setores básicos como energia, saneamento, estradas e irrigação podem ser a outra alavanca que a região precisa para reduzir a sua distância econômica de outras regiões.
É importante evitar-se a tentação de só financiar indústria e agro-negócio pelo simples fato de que podem gerar empregos. A política de incentivos fiscais deve ser oferecida a segmentos que realmente tenham compromisso com a região. Senão assitiremos de novo ao triste espetáculo de vermos grupos financiados pela Superintendência abandonarem a região assim que termina a carência de obrigações tributárias. E ai, nem emprego, nem empresa, nem empreendimento para sustentar o desenvolvimento.
É preciso que a SUDENE se torne realmente um instrumento de mudança da pirâmide econômico-social nordestina. Esperamos que os quase R$ 1 bilhão que ela tem já de saída sejam criteriosamente e socialmente investidos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desabafo de quem foi rotulado de vândalo pela mídia golpista

Acordei hoje pela manhã e me descobri vândalo!

Eu e 35 milhões de brasileiros que fomos ontem às ruas para protestar contra o desmonte dos direitos dos trabalhadores neste país.
Fizemos tudo de forma pacífica, organizada e corajosa. Aí, a mídia golpista estampa hoje na capa de um dos seus "pasquins" a foto de um vândalo (certamente infiltrado pela direita) depredando um banco talvez (porque não é uma creche, ou escola, ou hospital) e esta é a foto que caracteriza o gigantesco movimento de ontem nas ruas do Brasil.

Lamentável esta postura, que aliás não é de hoje. Não é a mídia que me define quem eu sou! Vândalos são aquelas pessoas que sugam o sangue dos trabalhadores para dá-lo de bandeja para os que se alimentam do sofrimento do povo. Enquanto os brasileiros se entorpecerem com esta mídia nojenta e vendida à publicidade dos exploradores do povo a qualidade do jornalismo brasileiro será vergonhosa.
Não se trata de achar que a mídia tem que ser de esquerda. Mas apenas de que …

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…