Eldorado de Carajás: Dez anos de impunidade!

De um lado, policiais despreparados para ações de evacuação. Investidos de uma autoridade sem limites, e com armas pesadas. Comandados por um homem acostumado a ler a realidade sob aótica maniqueísta de bons e maus, de ordem e desordem. Uma ordem superior definitiva e inapelável, até por ser superior: retirar a qualquer custo.
Do outro, um grupo de acampados acuados pelo medo de um desfecho imprevisível. Vivendo o isolamento completo e criminalizados pela elite latifundiária. Sem perspectivas de nenhuma negociação, diante de um ato jurídico claro e indiscutível.
De um lado o poder de fogo, do outro as foices e enxadas, gastas pelo esforço cotidiano de arar a terra para produzir a subsistência.
Cenário preparado para um confronto. E o confronto se deu com 19 corpos abatidos no chão da Pátria, mãe gentil (será?). Outros tantos mutilados.
Essa é a descrição muito tosca de um dos episódios mais tristes da história contemporânea de nosso País.
Fazem dez anos do Massacre de Eldorado dos Carajás. Desde então, entre marchas e demarchas de uma Justiça insegura, ninguém está preso ou definitivamente condenado por afirmar a repressão do aparelho de Estado contra cidadãos que só desejavam ter um lugar para plantar as raízes de sua sobrevivência.
É uma página que envergonha esse Brasil cantado e decantado como uma nação fraterna.
Até quando clamarão o sangue dos mortos de 17 de abril de 1996? Até quando viveremos sempre a tensão de iminentes novos conflitos e novos Eldorados?
Até quando nesse País se responsabilizará definitivamente quem, investido do poder de polícia, estrapola suas ações, matando cidadãos e cidadãs?
O problema da Terra diz respeito a toda a sociedade e não é uma questão de polícia. É uma questão de política!

Comentários

Marco Aurélio disse…
Xico

Obrigado por ajudar a lembrar daquele dia fatídico em Eldorado dos Carajás onde 19 homens foram brutalmente assassinados por 155 policiais.

Um abraço

Marco Aurélio

Postagens mais visitadas deste blog

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Quinta-feira Santa

Meditações da Semana Santa através da arte e da iconografia

Meditações na Semana Santa através da arte e da iconografia: Segunda-feira Santa