Pular para o conteúdo principal

Mulheres Celtas:donas de seus próprios sonhos!

Mesmo em meio a tanto avanço no que chamamos de civilização, o Dia Internacional da Mulher nos recorda a situação opressiva em que vivem milhões e milhões de mulheres em nosso País. Essa massa imensa de corpos, almas, corações e rostos que se move pelas ruas e pelos lares, exibindo uma beleza muitas vezes desconhecida pela cultura dominante. Muitas nem são percebidas porque escapam ao padrão de beleza que define a mulher como única e exclusivamente objeto de prazer!
Não sou daqueles que não valorizam a beleza, o cheiro gostoso, o jeito sensual e a manha graciosa dessas nossas queridas companheiras. Mas percebo que muitas delas, se perderam essa graça, o foi pelo peso de serem feitas serviçais no lar, na cama e na reprodução.
Como seria bom se nossa cultura "ocidental e cristã" pudesse reafirmar valores que as civilizações chamadas de bárbaras já tinham construido com tanta sabedoria. Uma delas é a cultura Celta. Naquela sociedade, construida nas Ilhas Britânicas, antes mesmo da chegada do Cristianismo, a mulher tinha uma dignidade implícita e explicita.
Nessa cultura eram criadas livres e com um direito de escolha a respeito de sua vida e de como queria compartilhá-la. A elas era ensinado nunca se deixar escravizar por nenhum homem. A elas era ensinado que a partilha do corpo jamais seria feito sem o seu consentimento. Os sonhos dessas mulheres deviam ser assumidos e construídos, nunca subordinados a qualquer interesse alheio. Inspiradas pela mística da Deusa Maeva - a Deusa Guerreira - as mulheres celtas aprendiam que o valor de cada uma delas dependia única e exclusivamente da sua capacidade de autocompreensão e determinação.
Os homens celtas eram educados a respeitarem suas consortes e a conquista de uma mulher se dava pela capacidade de conquistá-la pela sabedoria e sensibilidade para com o mundo feminino. A sedução, a posse sexual - se é que se pode chamar de "posse" - se dava quando a mulher assim o desejava.
Como nossa pseudo-civilização precisa incorporar valores desse quilate! Como a racionalidade ocidental submeteu a mulher a séculos de submissão política, econômica, cultural e sexual.
Talvez seja a hora de retomarmos as lições e a sabedoria das antigas culturas que, mesmo sem os recursos que temos hoje, construiram relações mais igualitárias, permitindo relações saudáveis e onde homens e mulheres tinham apenas um limite: o de respeitar seus corações em cumplicidade.
Minah homenagem a todas as mulheres desse nosso Brasil, de mulheres lindas, corajosas, sofredoras, mas acima de tudo desejosas de parceiros e não de capatazes!

Comentários

Roney Belhassof disse…
Saudações!

Cheguei aqui graças a este post que um amigo me eviou por email, mas todos os seus posts merecem comentários que só não farei agora pois acabo de ter o dedo mordido em um pequeno incidente com meu cão. ;-)

Não fosse por isso, compartilharia com você a minha história com o cristianismo. Aos cinco anos me encantei com ele, mas fui gradativamente me afastando por causa do fundamentalismo que via cada vez com mais freqüência.

Agora tenho esbarrado em cristãos como você que resgatam a beleza do postulado de Cristo.

Bem, isso é o máximo que consigo escrever com uma mão só! ;-)

Acrescentei seu blog nos links do meu site e do meu blog, voltarei em breve!

Postagens mais visitadas deste blog

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…

Message from Primate of Brazil about Primate`s Decision on the recent meeting in Canterbury

Brothers and sisters,
As I expressed earlier, I did not want to communicate anything prior to the end of the meeting regarding the heat of the debates that followed the discussion taken by the majority of Primates in relation to the Episcopal Church of the United States (TEC). In other words, the temporary suspension for three years from all decision-making entities of the Communion, rooted in [TEC]’s decisions with respect to the Matrimonial Canon.

Today I arrived in Brazil and would like to share a pastoral word with the Church regarding this matter. This issue took up a disproportionate amount of time from the meeting and was very difficult for all of the Primates. The most extreme position of the GAFCON primates was to demand an apology or require the withdrawal from the Communion of both TEC and the Church of Canada. This position caused a reaction that brought the Primates into the center of the debate, and the more progressive members sought alternatives that might have caused a …