Pular para o conteúdo principal

O Velho Chico e a saga do Bispo contra o Presidente

Nestes tempos de fraca institucionalidade, com a crise reduzindo a força das instituições democráticas do País, o gesto do Bispo de Barras, D. Luis Flávio Cappio, traz à tona algumas questões que precisam ser analisadas com muita atenção.
A radicalidade do gesto do Bispo, ao iniciar uma greve de fome em protesto contra a transposição do São Francisco, colocou em cheque a máquina do Governo. Conseguiu fazer o que não conseguiram os movimentos sociais que reclamavam do Presidente uma postura de diálogo em torno do Projeto.
Aliás, diálogo é uma palavra que tem sido muito cobrada por parte da Sociedade Civil organizada com relação a iniciativas do Governo em áreas de elevado interesse dos segmentos populares. E onde houve diálogo, ou melhor, tentativas, nem sempre prevaleceu a reivindicação das organizações e movimentos sociais. Um exemplo disso foi a discussão do PPA, culminando com uma proposta elaborada pelos tecnocratas ligados à filosofia da priorização dos fundamentos macro-econômicos.
Mas alguém pode perguntar porque o gesto de um bispo lá do interior da Bahia teve tanto impacto sobre o Governo. A resposta é simples: ele representa de certa forma uma das instituições mais fortes politicamente e com a qual o Governo não quer confronto. A adesão política dos movimentos sociais à greve do Bispo poderia funcionar como fogo em palha e transformar o fato em um enorme constrangimento para o Presidente.
Daí o recuo. Mas é bom ficar de olhos bem abertos porque o jogo de interesses econômicos em torno do Projeto vai ser outra grande pressão sobre o Governo.
As declarações do ministro Jaques Wagner de que o Governo não desistiu do Projeto, mas apenas adiou sua execução para uma discussão mais ampla, pode ser um claro recado de que o fato foi administrado politicamente para ser retomado com toda força em um momento mais adequado.
Só que issso tem riscos enormes para o Presidente. Se o Governo voltar atrás na questão, e impuser como fez até a greve de fome do Bispo, um projeto megalomaniaco de duvidosa eficácia para a solução dos graves problemas que afetam a região nordeste, poderá se defrontar não com um bispo em greve de fome outra vez, mas com uma romaria de militantes religiosos ou não, dispostos a jogar a opinião pública contra um Governo que não cumpre acordos.
Parece que nestes tempos de esvaziamento da força das institucionalidades da democracia brasileira, gestos dessa ordem assumem uma importancia enorme. E nessa pisada, se a moda pega, podem haver outros movimentos nesta direção, como por exemplo na questão da reforma agrária.
O velho Chico, como é chamado o rio, parece demonstrar sua força mítica. E para tanto o seu curso definido pela natureza, destruido pelo homem, torna-se agora objeto de discussão nacional. Em torno de suas águas se confrontam militantes sociais, um bispo corajoso e um Presidente temeroso de perder popularidade!

Comentários

Anônimo disse…
Hi, I found your blog here to be very interesting so I told a couple friends. I think it's great and quite interesting so I bookmarked it. Hope you don't mind...
(Anyone on this blog should post a comment and come back often!)
I also have a site if you or anyone is interested in free French Kissing Tips or great How to Kiss info. It's a very useful kissing resource if you're into romance and dating.
Great work on this blog here, and keep up the good work!

Tyler - to check out my site click art of kissing

Postagens mais visitadas deste blog

PEC 241: futuro sombrio e o re-construir utópico do povo brasileiro

A aprovação da PEC 241 pela Câmara dos Deputados representa uma comprovação de que a aliança política entre partidos e as elites que os representam vai consolidando um projeto de desmonte do Estado brasileiro, à custa das maiorias empobrecidas.

A receita é amarga e comprova que a Casa Grande está eufórica para destruir qualquer esforço da Senzala em ampliar direitos. A exemplo de outras elites latino-americanas, a elite brasileira está se deleitando em recuperar os seus privilégios com a maior rapidez possível, tirando da gaveta projetos que haviam esbarrado na firme resistência dos governos progressistas.

A esperança agora se volta para o Senado que deverá também analisar a PEC e - não tenho muita esperança sobre isso - reverter este processo de enxugamento de políticas públicas afirmativas. Pelos próximos 20 anos a população pobre do Brasil pagará uma conta elevadíssima para manter os privilégios de poucos.

A Direita terá, com base numa legalidade destituída de legitimidade, a garan…

Resistir contra o Ensino a serviço do Mercado

Os tristes fatos que estamos assistindo em nosso país revelam o quão difícil é lutar por direitos. Com mais de mil escolas e quase 80 universidades ocupadas contra uma reforma educacional imposta de cima pra baixo, sem discussão com a sociedade e destinada a mudar a proposta de formação de futuras gerações, os estudantes e professores não merecem ser tratados com violência pelo aparelho militar do Estado e nem com desdém pela mídia elitista.

A primeira vítima já está configurada: um adolescente morreu dentro de uma Escola em Curitiba. Até quando o governo manterá seu insano autoritarismo de achar que nosso país aceitará retrocessos no campo das conquistas que construimos na última década? Temos conhecimento de que infiltrados neste movimento estão procurando amedrontar estudantes e professores para enfraquecer a mobilização. Estas pessoas devem ser identificadas e isoladas para que se identifique seus mandantes.

Precisamos, como sociedade, denunciar, resistir e lutar por meios legít…

Message from Primate of Brazil about Primate`s Decision on the recent meeting in Canterbury

Brothers and sisters,
As I expressed earlier, I did not want to communicate anything prior to the end of the meeting regarding the heat of the debates that followed the discussion taken by the majority of Primates in relation to the Episcopal Church of the United States (TEC). In other words, the temporary suspension for three years from all decision-making entities of the Communion, rooted in [TEC]’s decisions with respect to the Matrimonial Canon.

Today I arrived in Brazil and would like to share a pastoral word with the Church regarding this matter. This issue took up a disproportionate amount of time from the meeting and was very difficult for all of the Primates. The most extreme position of the GAFCON primates was to demand an apology or require the withdrawal from the Communion of both TEC and the Church of Canada. This position caused a reaction that brought the Primates into the center of the debate, and the more progressive members sought alternatives that might have caused a …